Pensamentos aleatórios

30 de junho de 2015

Ao pedir desculpas, Zeca Camargo erra nome de Cristiano Araújo e mata Cristiano Ronaldo


"Gostaria de deixar claro que tenho a maior admiração pelo Cristiano Ronaldo, que não está mais com a gente", se confundiu Zeca.
Após ser duramente criticado na internet pelo seu pronunciamento sobre Cristiano Araújo, Zeca Camargo se retratou ao vivo no "Vídeo Show" desta segunda-feira (29).

"Gostaria de aproveitar, escrevi um comentário na GloboNews sobre essa cobertura e acabei sendo mal interpretado por alguns fãs. Gostaria de deixar claro que tenho a maior admiração pelo 'Cristiano Ronaldo', que não está mais com a gente", se confundiu Zeca.

"Ele, que começou de uma maneira tão simples, tão honesta, tão bonita, e estourou, virou esse artista que o Brasil inteiro chorou essa morte. Então, eu queria talvez me desculpar com quem tenha entendido mal".

"A gente tem essa cultura maravilhosa, temos que celebrar tudo que temos no Brasil. Tudo o que a gente faz é cultura, desde o sertanejo até o pop rock", encerrou Zeca, em seguida já sendo interrompido pelos colegas, que mudaram de assunto num piscar de olhos e começaram a falar, todos ao mesmo tempo, sobre as novidades do "Vídeo Show".

Na bancada, estavam, além dele, os apresentadores Monica Iozzi e Otaviano Costa, além de Ana Furtado, André Marques, Patrícia Poeta, Thiago Leifert e Cissa Guimarães.

Zeca Camargo é o assunto mais comentado do Twitter.
 
Compartilhe:

A crise que assola o País chegou em Catalão?

A crise chegou! 

Ao menos é o que diz o bilhete encaminhado aos pais pelos grupos gestores das creches municipais informando o motivo de não ter plantão de férias este ano:


A crise chegou mesmo e atingiu Catalão... desde o dia 1º de janeiro de 2013!!!

Catalão: vergonha de ter um prefeito incompetente assim!

Compartilhe:

Saiu no Goiás 24 Horas: Jardel Sebba integra uma das piores safras de administradores municipais de toda a história do Estado.

Ê, Cristiano, desse jeito você mata o Jardel...
 
O Goiás 24 Horas, para quem não sabe, é o blog mais marconista de toda a internet. É um dos mais acessados de Goiás e a mídia preferida que Marconi usa para mandar recados, seja para desafetos ou aliados que precisam de um puxão de orelha. O responsável pela publicação é o jornalista Cristiano Silva, autor do livro da Operação Ouro Negro e que subiu no palanque de Jardel Sebba na campanha eleitoral de 2012 e desde o início desse ano vem mandando vários recados para a família Sebba (Gustavo é frequentemente chamado de deputado menudo mudo), sendo o mais recente publicado ontem. Confira:
 
Prefeitos na UTI: quadro administrativo na maioria dos municípios é caótico, sem obras e deve levar a desastre eleitoral em 2016
 
Os atuais prefeitos da maioria dos municípios goianos revelam, quase que unanimemente, uma inaptidão comum para a arte de governar que deve levar a um desastre eleitoral em 2016 – para quem está atualmente no poder e vai tentar a reeleição ou eleger o sucessor.
De um extremo a outro, não há uma obra de importância, em Goiás, tocada sob responsabilidade de uma Prefeitura. Prefeitos de grandes cidades mal conseguem limpar as suas ruas, que vivem a rotina do mau atendimento médico para a população e asfalto esburacado.
 
A desculpa esfarrapada, repetida monotonamente, é uma só: a falta de recursos, em decorrência de supostos cortes nas transferências obrigatórias e de queda na arrecadação. Na verdade, a incompetência, o despreparo e a falta de visão é que justificam a proliferação de más administrações que iguala grandes e pequenos municípios, de ponta a ponta no Estado.
 
Nas 20 maiores cidades do Estado, somente o prefeito de Aparecida, Maguito Vilela, que é do PMDB, tem chance de fazer o seu sucessor (Maguito está no segundo mandato e não pode mais se reeleger). Nos restantes, incluindo Goiânia, Anápolis, Trindade, Quirinópolis, Rio Verde, Caldas Novas, Luziânia, Itumbiara, Formosa, Catalão, Goianésia, Porangatu, Mineiros, Senador Canedo e por aí afora, o cenário é de desgaste e de deterioração acelerada da imagem dos atuais gestores – que integram uma das piores safras de administradores municipais de toda a história do Estado.
 
2016 será uma eleição de renovação total em Goiás.

Para bom entendedor...

Compartilhe:
 
 

26 de junho de 2015

Casamento gay ganha apoio no Facebook; veja como mudar seu perfil


A Suprema Corte dos Estados Unidos legalizou nesta sexta-feira (26) o casamento entre pessoas do mesmo sexo em todo o país. Prontamente, uma legião de usuários do Facebook trocou as fotos de perfil para simbolizar apoio à decisão histórica. E é muito fácil aplicar o filtro de arco-íris ao seu avatar na rede social, já que o próprio Facebook criou uma ferramenta para isso. Basta clicar aqui.

A ferramenta detecta automaticamente sua foto de perfil atual e aplica o filtro por cima. Dá até para editar a legenda da imagem, se quiser, e depois é só clicar em "Use as profile picture".

A decisão na Suprema Corte dos EUA veio por cinco votos contra quatro. Os 13 estados que ainda proibiam não podem mais barrar os casamentos entre homossexuais, que passam a ser legalizados em todos os 50 estados americanos.

O casamento tem sido uma instituição central na sociedade desde os tempos antigos, afirmou o tribunal, "mas ele não está isolado das evoluções no direito e na sociedade". Ao excluir casais do mesmo sexo do casamento, explicou, nega-se a eles "a constelação de benefícios que os estados relacionaram ao casamento".

O tribunal acrescentou: "O casamento encarna um amor que pode perdurar até mesmo após a morte". "Estaria equivocado dizer que estes homens e mulheres desrespeitam a ideia de casamento... Eles pedem direitos iguais aos olhos da lei. A Constituição lhes concede este direito", ressaltou, segundo a agência AFP.

A decisão não entrará em vigor imediatamente porque a Suprema Corte concede ao litigante que perdeu o caso aproximadamente três semanas para solicitar uma reconsideração, como informa a Reuters.
 
 
Compartilhe:

25 de junho de 2015

Homenagem a Cristiano Araújo

Esse post não tem imagens do cantor morto, nem entrevista com "amigos" da família, nem mesmo imagens do velório, apenas uma singela charge para homenagear esse jovem que deixou o mundo no auge de sua carreira, em uma fatalidade que poderia ser evitada com o uso do cinto de segurança e com respeito do motorista pela velocidade máxima permitida na via, que fique a lição:


Compartilhe:

Novo modo de celular

Você está trabalhando, em uma reunião importante, conversando com amigos ou simplesmente não quer ser interrompido no momento. De repente, seu aparelho celular começa a apitar, vibrar e disparar o ringtone, ficando impossível manter a concentração com esses alertas que incomodam e o atraem a pegar o celular e verificar naquele instante o que está acontecendo.

Felizmente, não é difícil impedir tal situação de acontecer. Afinal, é para isso que existe o modo Silencioso ou, de uma maneira mais radical, o botão para desligar seu telefone. Mas outra função semelhante, que muitas vezes nem é utilizada por quem adquire um aparelho, pode servir como uma alternativa ainda melhor para conseguir paz e não precisar checar as chamadas ou mensagens recebidas a todo instante: o Modo Avião.

A função do Modo Avião é bastante simples: cortar todos os sinais emitidos e recebidos pelo aparelho. Em outras palavras, ao ativá-lo, você não pode efetuar ou receber chamadas, acessar a internet, utilizar GPS ou compartilhar arquivos por Bluetooth, ou seja, o celular fica totalmente desconectado.

Mas existe outro Modo com essa mesma função, que suspende todos os serviços, mas engana o usuário dizendo que está tudo em ordem e funcionando perfeitamente. Descubra qual é esse Modo na charge abaixo:


Compartilhe:

O mantra do Prefeito

Mantra é um hino do hinduísmo e budismo, que é dito de forma repetida e tem como objetivo relaxar e induzir um estado de meditação em quem canta ou escuta. 

Um mantra é definido como um instrumento de pensamento, sendo utilizado por qualquer pessoa independente de seguir a ou não as religiões orientais.

Após dois anos e meio de gestão fracassada dizem que o mantra do prefeito é o mesmo do início do mandato, tento intensificado a recitação depois da negativa da Câmara em votar o projeto de venda da SAE. 

Compartilho com os leitores do blog esse mantra:


Tudo a ver, ou não?

Compartilhe:

24 de junho de 2015

Lei da Carreira dos Professores do convênio UFG/Prefeitura de Catalão foi aprovada na Câmara de Vereadores

Outra vitória da mobilização e pressão popular.

Ontem foi aprovada na sessão da Câmara de Vereadores de Catalão o novo projeto de Lei que regulamenta a carreira dos professores vinculados ao município e que trabalham na UFG em Catalão, que só saiu do papel após a colocação de faixas na entrada do câmpus denunciando para toda a comunidade que a renovação do convênio, noticiada no início do ano, ainda não havia contemplado os docentes, deixando-os dois anos com os vencimentos defasados.

Confira a nota da ADCAC (Associação dos Docentes do Câmpus Catalão) sobre o assunto:

Aprovada a nova Lei da Carreira dos Professores/as do convênio UFG/PMC na Câmara de Vereadores, com unanimidade dos votos favoráveis.

Houve uma apreciação positiva dos vereadores Vandeval, Gilmar, Paulinho e Pedro Henrique dando destaque à essa conquista da categoria de professores/as do ensino superior que contribuíram e contribuem na construção e efetivação da Universidade Federal de Goiás, em Catalão. Eles ressaltaram a importância da UFG em Catalão e das atividades de ensino, pesquisa e extensão que são desenvolvidas por estes professores/as.

Agradecemos especialmente ao Vereador Paulinho, que esteve hoje na ADCAC, juntamente com o Roberto Tavares conversando conosco e ajudando a esclarecer as dúvidas que surgiram em torno da versão final do projeto de lei da carreira.

Nos da ADCAC agradecemos o empenho e participação de todos/as os/as professores/as da Regional Catalão, que estiveram na luta conosco durante toda a trajetória de construção e de tramitação do projeto de lei da carreira, que durou quase cinco anos. Agradecemos a participação de todos/as nas muitas reuniões realizadas na procuradoria jurídica do município, no gabinete do prefeito, em reuniões com o Reitor da UFG e com o diretor da Regional Catalão. 

Nesse sentido, agradecemos o empenho do Reitor da UFG, professor Orlando Amaral, e da Diretoria da Regional Catalão, nas pessoas do Thiago Jabur e Lincoln. Agradecemos o esforço realizado por Mônica Paranhos, que atuou esclarecendo os detalhes da Lei da Carreira do Magistério Superior Federal ao sr. Sebastião, do RH da Prefeitura e, ao Dr. Giordano Paraguassu, Procurador Jurídico do Município, os quais também agradecemos pelo empenho realizado para a conclusão da proposta de Lei. 

Agradecemos ao Professor Cleves, que esteve presente hoje na sessão plenária da Câmara  de Vereadores!

Valeu o esforço, a persistência, a insistência e a resistência de todos e todas nesse longo processo. Encerramos uma etapa de luta, com uma vitória que garante a correção de uma carreira que esteve desatualizada desde o ano de 2010, mas sabemos que a luta continua e precisamos corrigir a nossa carreira em âmbito nacional, que se encontra num processo gradual de desestruturação e extinção!! 
Depois de atingido o objetivo as faixas foram retiradas, mas compartilho as imagens para quem não as tinha visto:



Compartilhe:

Enquanto isso, no Facebook...

Os catalanos debatem quem seriam os "churrasqueiros" da Câmara Municipal:


Compartilhe:

Catalão é, mais uma vez, destaque negativo na mídia goiana

"CHURRASCO" VIRA NOTÍCIA ESTADUAL

O famoso "churrasco" denunciado pelo vereador Daniel do Floresta e investigado pelo Ministério Publico de Goiás vira notícia a nível estadual e é chamado como um " verdadeiro escândalo da política catalana " pela TV BAND. 

Lembrando que o tal "churrasco" seria uma alusão a supostas propinas recebidas pelos vereadores da base aliada ao Prefeito para votarem projetos encaminhados para a Câmara de Vereadores, sendo apelidado na cidade de "mensalinho".

Confira na íntegra a matéria abaixo veiculada pela TV BAND Goiânia:


Compartilhe:

Nota de Pesar: Marcelo Paiva (Marcelinho)


O Blog Bão pra Sabão manifesta seu pesar e sua solidariedade à família, aos amigos e aos admiradores do jovem Marcelo Paiva (Marcelinho, da Roma Transportes), que faleceu em um trágico acidente de trânsito ocorrido ontem, próximo à Araguari/MG. Grande amigo, Marcelinho também era um dos mais fieis leitores do Bão pra Sabão.

Marcelinho trabalhava há vários anos no ramo de transporte de cargas e retornava de uma viagem à Rondonópolis/MT, onde foi para acertar sua rescisão de contrato com a empresa Roma Transporte. Voltava de carro com sua esposa Neidiane, cheio de planos para o futuro quando foi surpreendido por um veículo que vinha em sentido contrário e, ao estourar um pneu, se chocou frontalmente com o carro onde estavam Marcelo e sua esposa. 

Marcelo deixa um filho, Ítalo, a esposa Neidiane (que permanece em estado grave em um hospital de Uberlândia), pai , mãe, irmãos e uma legião de amigos que, enlutada, oram para que sua esposa se recupere plenamente e a família encontre o conforto necessário para superar essa grande perda.

O velório está sendo realizado na cidade de Cumari. O horário do sepultamento está previsto para 12:00h.

Compartilhe:

23 de junho de 2015

Enquanto isso, perto da Prefeitura...

Um filho busca desesperadamente o reconhecimento de seu pai, que insiste em renegá-lo:


Tucano ingrato, depois que o usou e abusou do filho agora quer deserdá-lo.

Compartilhe:

Fato ou terrorismo?

Direto do Twitter do prefeito. Tirem suas conclusões:


Os próximos twittes vão atribuir à não privatização da SAE o aquecimento global, os terremotos no Chile e as tsunamis no Japão.

Compartilhe:

22 de junho de 2015

Vereadores em baixa...

A avaliação da atual legislatura da Câmara Municipal de Catalão está tão ruim, mas tão ruim, que em breve a popularidade dos edis só vai ser encontrada se cavar bem fundo:


Liga não, porque no ano que vem eles serão eleitos de novo...

Compartilhe:

18 de junho de 2015

O que aconteceu na sessão da Câmara...

Com informações do Portal Catalão:

População, protestou mas não conseguiu evitar a aprovação da Lei de Diretrizes Orçamentárias de 2016

Aconteceu na tarde de hoje, quinta-feira (18), a 2ª Sessão Extraordinária de 2015 na Câmara Municipal de Catalão.

Já não é novidade que a população está revoltada e que vem comparecendo em peso nas sessões. Porém três coisas chamaram a atenção dos presentes e nenhuma delas foi quanto à 2ª votação da LDO 2016.

A primeira foi a presença de um cameraman do canal televisivo Band Tv Goiânia. A segunda foi quanto às agressões que algumas pessoas, que estavam na plateia, realizaram contra alguns vereadores. E não menos importante, porém mais corriqueira, a omissão política que a grande maioria dos vereadores da base vem demonstrando.
 
TV Band cobrindo a sessão da Câmara
 
Democracia, com certeza é uma palavra que vem sendo muito dita, porém pouco utilizada. Isso ficou nítido quando o presidente da casa, buscou manter a ordem na plateia, utilizando a força policial, para acalmar os ânimos dos exaltados. “Peço que retirem da plateia quem gritar”, disse Juarez Rodovalho. Também pode ser notada a democracia deturpada, em cidadãos que utilizaram a plateia para proferir xingamentos contra os políticos e também com gritos, os impossibilitaram de se pronunciar.

As imagens que a mídia nacional irá transmitir de Catalão, serão de vereadores em descrédito, acusados de corrupção e omissão e de uma população raivosa que não mediu palavras de baixo calão para agredi-los.

Conclusão. A grande maioria, está indignada com o fato de existirem dez vereadores que nem ao menos discutem a viabilidade e os benefícios que os projetos propostos pelo prefeito trarão para a sociedade, e simplesmente votam a favor, dando a impressão de estarem virando as costas para aqueles que os elegeram.
 
A população virando as costas para os vereadores da situação
 
Conforme havia sido noticiado ontem, quarta-feira (17), a votação para aprovação da concessão da SAE não foi realizada devido à uma liminar. No lugar da votação da concessão, aconteceu a 2ª votação da LDO (Lei de Diretrizes Orçamentárias) de 2016. A LDO foi aprovada por todos os vereadores da base e recusada por todos os vereadores da oposição.Na saída, todos puderam contar com a distribuição de churrasco e refrigerante que lembravam o protesto contra o “mensalinho”, o qual alguns vereadores estão sendo acusados de receber.

O criativo protesto da população contra o "mensalinho" dos vereadores
Compartilhe:

Reportagem do SBT sobre o caso do padre fantasma da Assembleia Legislativa de Goiás (nosso prefeito aparece)

Para quem ainda não viu:


Compartilhe:

Servidor público em greve, mas trabalhando...


Compartilhe:

Me solta, me solta...


Compartilhe:

Caso do padre fantasma: Justiça determina bloqueio de bens do prefeito Jardel Sebba

Essa saiu em O Popular:

A Justiça de Goiás concedeu nesta quarta-feira (17) liminar em ação civil pública contra cinco pessoas, acusadas de improbidade administrativa por algum envolvimento no caso do padre Luiz Augusto Ferreira da Silva, que admitiu ter sido funcionário fantasma na Assembleia Legislativa de Goiás. Na decisão, a Justiça determinou o bloqueio de R$ 12 milhões do padre Luiz. Até o momento foram localizados R$ 86 mil depositados em bancos, além de dois carros. O advogado do padre disse que vai recorrer da decisão. A liminar determina também o bloqueio de bens do ex-presidente Jardel Sebba, no valor de R$ 1.282,571,04; do ex-deputado Sebastião Costa Filho (em cujo gabinete o padre ficou à disposição em 2009), no valor de R$ 284.661,84, do presidente do Sindicato dos Servidores da Assembleia (onde padre Luiz também foi lotado), no valor de R$ 898.207,32; do supervisor da Diretoria Parlamentar da Casa, Rubens Bueno Sardinha da Costa, no valor de R$ 395.362,72.

Para quem não se lembra, recentemente a jornalista Fabiana Pucineli publicou um artigo sobre a Operação Poltergeist, que investiga a nomeação irregular de funcionários na Assembleia Legislativa de Goiás, expondo que a investigação do Ministério Público apurou que a prática começou em 2007, durante a primeira presidência de Jardel Sebba à frente da Casa.


Diante de tantas denuncias e notícias negativas fico imaginando qual o pensamento que passa pela cabeça do prefeito...


Compartilhe:

17 de junho de 2015

Enquanto isso, no Ministério Público...

Os promotores responsáveis pela Operação Poltergeist, que investiga os casos de funcionários fantasmas na Assembleia Legislativa de Goiás, fazem o interrogatório de uma importante testemunha que, acreditem, pode inocentar o prefeito Jardel (ex-presidente da ALEGO na época em que as nomeações suspeitas foram feitas) da acusação de contratação de funcionários fantasmas:


Ao menos desse contrato ele é inocente!!!

Compartilhe:

Apresentadora fica nua após vitória da Venezuela

Essa eu vi em O Popular:



Yuvi Pallares tirou tudo diante das câmeras e cumpriu a promessa que havia feito. 

Promessa é dívida para Yuvi Pallares. E agora, devidamente cumprida. Após dizer que ficaria nua a cada vitória de sua seleção na Copa América, apresentadora de TV da Venezuela tirou tudo diante das câmeras após o triunfo sobre a Colômbia, no domingo, por 1 a 0. 

O programa "Desnudando la notícia" é conhecido justamente por suas apresentadoras fazerem striptease enquanto dão a informação. Pallares, que já tirou a roupa outras vezes no programa, como quando falava sobre Cristiano Ronaldo, em abril. 

As apresentadoras do "Desnudando la notícia", aliás, já haviam feito campanha - todas nuas - para apoiar a seleção venezuelana na Copa América e também prometeram um novo nu coletivo caso a equipe vinho tinto avance para a próxima fase.

Confira o vídeo:


Compartilhe:

A aposta de Jardel


Muitos especulam o porquê de o prefeito Jardel ser tão cabeça dura.

Alguns dizem que ele simplesmente não se importa com a opinião pública, que só o que ele quer é agradar o Marconi, não fazendo diferença se o povo irá ou não ficar contra ele.

Outros dizem que ele age assim porque vai se aposentar da vida pública e que realmente acredita que está fazendo algo de bom para a cidade.

A maioria diz que ele simplesmente queria apenas vencer a eleição (e em cima do Adib), que ser prefeito era só a consequência, que de verdade ele gosta mesmo é de Goiânia e do Rio de Janeiro e quer mais é que o povo de Catalão se lasque.

Acho que essa última faz mais sentido.

No entanto, Jardel não é sozinho no mundo, tem um grupo político que não pode deixar na mão, afinal a reeleição e vida política de seu filho dependem disso. Nesse sentido um quadro publicado no jornal Dito e Feito, desta terça-feira, 16 de junho, dá algumas dicas sobre o que poderia estar passando pela cabeça do prefeito quando ele toma suas "medidas impopulares":


Antônio Paulino, responsável pelo Dito e Feito, não morre de amores por Jardel, mas é aliado de Marconi e precisa fazer o jogo do PSDB, e localmente é defender o indefensável. Ele não acredita de verdade na recuperação da gestão Jardel, mas precisa falar isso, da mesma forma como o Jornal Opção e o Diário da Manhã. Essa tática visa dar à população uma falsa imagem de aprovação da gestão, por meio de repetição de informações favoráveis em diversos veículos de comunicação, de forma que o povo engula o engodo. Na maioria dos casos dá certo (Marconi e Aécio, em Minas, são dois dos melhores exemplos de funcionalidade desta tática), mas aparentemente em Catalão o desgaste é tão grande que em um ano apenas que falta para o início da campanha política de 2016 não dá para recuperar. A população enxerga isso, Jardel não.

Jardel realmente acredita no que sai nos jornais. Mesmo sabendo que são matérias combinadas, que não refletem de verdade o que a população sente, ele toma como verdades absolutas e as reproduz, até mesmo brigando com que fala o contrário (Fabiana Pulcineli, de O Popular, que o diga). No caso específico da notinha do Dito e Feito Jardel não acredita na parte que fala da recuperação de sua gestão, nem ele é tão otimista (ou bobo), mas ele acredita piamente na memória curta do povo, sendo esta sua grande aposta para 2016: o povo vai se esquecer de três anos de gestão ruim e lembrar apenas das inaugurações e obras em andamento desenvolvidas nos primeiros seis meses do ano. Uma aposta arriscada, diga-se, mas que é possível de bancar se houver muito dinheiro envolvido, e é aí que a venda da SAE entra, daí enfrentar tamanho desgaste para consegui-la.

Mas se há algo que a eleição do ano passado ensinou é que o povo pode até ter memória curta, mas quando o desgaste é demais nem todo o dinheiro do mundo consegue revertê-lo e insistir em estratégias kamikazes apenas para provar que consegue pode ser fatal para qualquer futuro político, mesmo daqueles que não se importam com sua biografia ou a de seus herdeiros.

Compartilhe:

O que eu vi na sessão da Câmara...


A pauta nem era o projeto de privatização da SAE e o auditório ficou lotado, mesmo com o ridículo ato de recolhimento de documentos de identidade para suposto "controle de quem entra na casa". Ora, identificar-se para ter acesso a qualquer órgão público não é nada demais, perfeitamente compreensível, o que não dá para entender é a necessidade de fazer cópias dos documentos. Pra quê isso? Será que é pra ir pra boca do sapo ou outra finalidade? Ficou parecendo intimidação, que felizmente a população não aceitou e novamente compareceu em peso, representando os mais diversos segmentos da sociedade num grito unânime: SOMOS CONTRA O PROJETO DE CONCESSÃO DA SAE!!!

A partir daí o que se viu foi um show da plateia que não poupou o primeiro secretário, Aurélio Macedo, impiedosamente  massacrado por palavras de ordem, xingamentos e vaias durante toda a leitura da LDO de 2016. Parecia até jogo do CRAC contra o Goiás, tamanha a afinação e sincronismos dos presentes. Ao final de leitura do projeto o presidente da Casa, Juarez Rodovalho, passou a palavra aos vereadores que quisessem se manifestar, e aí foi outro show.

Os sete vereadores da oposição se manifestaram primeiro e cada um que fazia uso da palavra era ovacionado pela plateia. Vanderval,  Gilmar, Jurandir, Deusmar, Daniel, Sargento Anísio e Paulinho fizeram discursos diferentes, mas tiveram em comum dois pontos: a descrença com a atual gestão da Prefeitura e a preocupação com o projeto de venda da SAE. Apontaram descumprimento de promessas de campanha, incompetência no trato com o dinheiro público, falta de dialogo com a comunidade e distância do prefeito com a realidade, que insiste em um projeto rejeitado por 10 entre 10 catalanos que se manifestam sobre o tema. Algumas expressões ditas pelos edis merecem destaque: prefeito do nariz platinado, prefeito demente, prefeito incompetente, prefeito louco, prefeito corrupto. Ao final o Sargento Anísio conclamou os colegas vereadores da base aliada ao prefeito que se libertassem de suas algemas e ouvissem a comunidade que representam. Depois de tanto xingamento, denúncias e apontamentos contra o prefeito feitos pela oposição sabem o que aconteceu? Nada!

Os vereadores da situação sequer se moveram em suas cadeiras. Entraram mudos e saíram calados, nem se deram ao trabalho de defender o prefeito ou mesmo se defenderem. Numa clara demonstração de desprezo com a opinião pública, sem uma única contestação, manifestação de apoio ou defesa, a LDO foi aprovada com sete votos contrários e dez favoráveis, que simplesmente permaneceram como estavam.

E isso é o que eu vi na sessão da Câmara de Vereadores: uma luta inglória, que a comunidade vai travar, mas está fadada a perder, simplesmente porque a maioria dos edis "permanecem como estão" e aprovam tudo o que o prefeito mais irresponsável da história de Catalão encaminha para a Casa, sem discussão ou defesa, numa gigantesca prova de desprezo com a sociedade que dizem representar. 

Se fazem isso por acreditarem no projeto, como diz o Jardel, ou por vultosos depósitos do vil metal nos bolsos de cada um (cerca de 1 milhão por voto, dizem por aí) jamais saberemos ao certo, mas a luta só termina quando o lutador morre e nesse caso a sociedade precisa manter a pressão, pois se existe algo que político respeita (mais do que dinheiro) é a possibilidade de não reeleição e disso os vereadores da base do prefeito têm mais provas a cada dia, podendo ser a única coisa que façam com que levantem da cadeira e rejeitem o projeto de venda da SAE.

Compartilhe:

16 de junho de 2015

Enquanto isso, no Twitter do prefeito...

Jardel publica a foto de uma reunião com a base aliada para apresentação dos argumentos para a concessão/venda/privatização da SAE:


Nada de mais, mas quando a gente clica no link para ver a foto olha só o que acontece:


Argumentos irrefutáveis, sem dúvida!!!

Compartilhe:

Aluna recebe xingamento como senha para site de faculdade

Essa eu vi em O Popular:


Caso inusitado aconteceu no Acre. Apesar da senha inusitada, estudante disse que não se sentiu ofendida. Faculdade investiga o caso.

A estudante de fisioterapia Joelma, de 31 anos, recebeu uma senha inesperada para entrar pela primeira vez no Portal do Aluno da Faculdade Meta, em Rio Branco, Acre. Ao solicitar a senha de acesso na secretaria da faculdade, um papel foi impresso e o código “vatomarnocu" gerado.

Na hora que percebeu a senha, Joelma chegou a voltar à secretaria para questionar, mas nenhuma explicação foi dada. Apesar do susto, a estudante disse que achou o episódio engraçado e que não se sentiu ofendida. Já a faculdade afirmou que o caso já foi encaminhado ao setor de Tecnologia da Informação (TI) para ser apurado. 
 
Compartilhe:

Enquanto isso, na antessala do Gabinete do Prefeito...

O Superintendente da SAE chama o prefeito para a importante reunião de apresentação aos edis dos argumentos consistentes para convencê-los da importância da venda da SAE:


Compartilhe:

Manifesto em defesa da SAE

 
NOTA EM DEFESA DA SAE
CONTRA A CONCESSÃO/PRIVATIZAÇÃO DOS SERVIÇOS DE ÁGUA E ESGOTO EM CATALÃO (GO)

Sindicatos e Movimentos Sociais dos/as trabalhadores e trabalhadoras da cidade, do campo e da juventude do Sudeste Goiano, que compõem a Frente Única do Bloco Alternativo, vêm por meio dessa NOTA EM DEFESA DA SUPERINTÊNDENCIA DE ÁGUA E ESGOTO DO MUNICÍPIO DE CATALÃO (SAE), repudiar o Projeto de Lei nº 70/15 que prevê autorizar o poder Executivo licitar a “concessão” da SAE.

Para as organizações da sociedade civil que compõem o Bloco Alternativo, a concessão do gerenciamento da SAE significa a privatização da autarquia, ao entregar um dos principais bens públicos da sociedade catalana a uso e fruto da iniciativa privada. Diferente do que afirmam os governos tucanos de Marconi Perillo e Jardel Sebba, com o apoio da “imprensa marrom” comprada com o dinheiro público, as concessões, terceirizações, parcerias público e privada (PPP’s), subdelegações, entre outros termos, são variantes que significam o desmantelamento do patrimônio público em benefício do lucro privado, sendo, portanto, mecanismos de privatização.

As concessões/privatizações feitas pelo governo Marconi Perillo ao entregar os serviços da SANEAGO nos municípios de Jataí, Rio Verde, Aparecida de Goiânia, Trindade e algumas cidades do entorno de Brasília - na maioria dos casos a empresa Ordebrech Ambiental, demonstram que os investimentos prometidos na expansão das redes de água e esgoto não aconteceram, assim como o atendimento à população foi prejudicado devido a substituição dos servidores públicos da SANEAGO por terceirizados da Ordebrech. Nesse sentido, o “exemplo de gestão” defendido pelos governantes de Catalão não passa de uma enganação que atualmente prejudica parte da população goiana em benefício de empresários ligados ao tucanato goiano.

Por outro lado o prefeito Jardel Sebba demonstra seu lado antidemocrático, ao encaminhar um Projeto de Lei a Câmara Municipal, que afeta toda a população catalana, sem ao mínimo ouvir a sociedade civil. Ironicamente, Jardel afirma que vai realizar audiências públicas somente após os vereadores lhe darem um “cheque em branco” que lhe permita dialogar com a população qual modelo de concessão a ser concretizado. Deixando claro que a privatização é sua única meta independente do interesse popular.

A concessão/privatização proposta por Jardel Sebba, não solucionará a crise hídrica em nosso município. A SAE e os recursos hídricos de Catalão precisam ser administrados de forma transparente e com participação popular. A atitude antipopular do Prefeito e de seu Secretário de Meio Ambiente, Marcelo Mendonça, em proibir os ribeirinhos do Pari/Samambaia em utilizar os recursos do manancial a partir desse dia 15 de junho, repete a criminalização aos ribeirinhos ocorrida em 2014 que levou um prejuízo de R$ 1.200,000,00 as famílias camponesas, demonstrando assim, o caráter autoritário e antidemocrático dessa gestão, como a necessidade de reação popular contra seus desmandos.
 
NÃO A CONCESSÃO/PRIVATIZAÇÃO DA SAE! ÁGUA É VIDA! NÃO MERCADORIA!
POR UMA GESTÃO TRANSPARENTE E POPULAR DA SAE!

ENTIDADES DA SOCIEDADE CIVIL QUE COMPÕEM O BLOCO ALTERNATIVO DOS/AS TRABALHADORES/AS DA CIDADE, DO CAMPO E DA JUVENTUDE: Associação dos Docentes do Campus Catalão (ADCAC Seção Sindical do ANDES-SN). Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Goiás (SINTEGO Regional Catalão). Sindicato dos Trabalhadores da Indústria Urbana do Estado de Goiás (STIUEG). Comissão Pastoral da Terra (CPT). Diretório Acadêmico dos Cursos de Catalão (DACC/UFG). Movimento Camponês Popular (MCP). Centro Acadêmico de Direito do CESUC. Associação dos Moradores do Distrito de Santo Antônio do Rio Verde. Movimento do Passe Livre (MPL). Partido Socialismo e Liberdade (PSOL). Associação dos Geógrafos Brasileiros Seção Catalão (AGB). Movimentos das famílias camponesas do Ribeirão Pari/Samambaia.
 
Compartilhe:

15 de junho de 2015

O Popular denuncia: farra dos funcionários fantasmas na Assembleia Leguslativa de Goiás começou em 2007. Adivinhe quem era o presidente na época?

 

Compartilho o texto de hoje da coluna Cena Política, do jornal O Popular, assinado pela competente e séria jornalista Fabiana Pulcineli, esclarecendo em que pé está a Operação Poltergeist, deflagrada pelo Ministério Público de Goiás para investigar a contratação de funcionários fantasmas na Assembleia Legislativa de Goiás expõe que, embora a Operação tenha surgido a partir do gabinete do ex-deputado estadual Daniel Messac (PSDB) e esteja focada nele, a maior parte das contratações de funcionários fantasmas na Assembleia Legislativa ocorreu por meio do diretor Milton Campos, braço direito do ex-deputado Keneddy Trindade, nomeado em 2007 como diretor-geral da Casa, pelo então presidente Jardel Sebba (PSDB), hoje prefeito de Catalão.

Confira na íntegra:

Para ir além
A segunda denúncia do Ministério Público de Goiás (MP-GO), de maio deste ano, avaliada em conjunto com a primeira, de abril do ano passado, mostra que, embora a Operação Poltergeist tenha surgido a partir do gabinete do ex-deputado estadual Daniel Messac (PSDB) e esteja focada nele, a maior parte das contratações de funcionários fantasmas na Assembleia Legislativa ocorreu por meio do ex-diretor-geral da Casa Milton Campos.

Dos 35 novos denunciados por serem fantasmas, 70% tiveram suas nomeações viabilizadas pelo ex-diretor, o que sinaliza que os esquemas podem ir além de apenas um parlamentar.

Milton Campos chegou à Assembleia em 1999 como assessor do ex-deputado estadual Kennedy Trindade, hoje conselheiro do Tribunal de Contas do Estado (TCE). Kennedy não disputou reeleição em 2006, mas continuou na Assembleia em cargo de peso: diretor-geral, nomeado em 2007 pelo então presidente Jardel Sebba (PSDB), hoje prefeito de Catalão. Seu braço-direito, Milton virou chefe de sua assessoria.

Foi em 2007 que, de acordo com o alcance da investigação do MP, começou o esquema de contratação de fantasmas. Foi também de 2007 para 2008 que a Assembleia registrou salto de mais de mil comissionados na Casa, segundo dados oficiais. Dali em diante, chegou a ter 3,5 mil comissionados.

Em agosto de 2010, Kennedy licenciou-se do cargo para atuar na campanha do então senador Marconi Perillo (PSDB) ao governo e logo depois virou conselheiro do TCE. Foi substituído por Milton, nomeado na gestão do sucessor e aliado de Jardel, Helder Valin (PSDB), hoje também conselheiro do TCE.

Saiu Valin, entrou Jardel. Saiu Jardel, entrou Valin. E Milton continuou diretor-geral. Era ele quem, propagando seus conhecimentos como advogado, freava a divulgação de informações sobre o quadro de servidores da Assembleia. Certa vez, diante da insistência do POPULAR em obter dados das tabelas de cargos e salários, respondeu: “Vai atrás da Justiça”.

Em 2012, Milton Campos doou, segundo prestação de contas oficial da Justiça Eleitoral, R$ 10 mil para a campanha a vereador de Túlio Daniel Isac Carneiro (PSDB), filho do então deputado estadual Túlio Isac (PSDB), que não se reelegeu no ano passado, mas agora é diretor de Comunicação da Assembleia.

Milton era “detentor de grande força política no cenário local”, aponta o MP na denúncia. Chegou a receber R$ 160 mil a mais que um deputado estadual em um ano, ainda de acordo com as apurações do MP. Os rendimentos dele na Assembleia saltaram de R$ 157 mil em 2010 para R$ 427 mil em 2011 e seu patrimônio triplicou em dois anos.

Com tamanho poder e uma ampla rede de relacionamentos/aliados, Milton tinha respaldo mesmo para bloquear as sucessivas tentativas de acesso a informações tanto de servidores como de contratos da Assembleia. É bom lembrar que a Poltergeist também identificou suspeita de fraudes em licitações, compras e contratos.

Ao longo de sete anos, o esquema de desvios cresceu e o Legislativo elevou seus gastos com comissionados sem que houvesse medidas mais rigorosas do TCE, órgão responsável pela fiscalização e punição em caso de descumprimento da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF).

A leitura do conteúdo das denúncias do MP sobre todo o esquema deixa um gostinho de “quero mais” – indica que há muito a se revelar.

Embora tenha havido grande redução no quadro de comissionados da Assembleia, a quantidade ainda é alta – é a terceira maior do País, ficando atrás apenas do Piauí e do Amapá, segundo revelou ontem reportagem do POPULAR. São 2.564, sendo 1.261 da área administrativa, contratados pela presidência, e 1.303 nos gabinetes dos deputados.

Além de serem viáveis novos cortes, como mostra a comparação com outras Assembleias do País, a Casa avançaria também se adotasse novas medidas para ampliar a transparência, como a informação sobre onde estão lotados os servidores. Hoje, para se ter acesso a dados como este, é preciso abrir cada um dos nomes dos servidores, informar dados pessoais de quem faz a consulta e entrar com senha enviada por SMS.

Na semana passada, o presidente Helio de Sousa disse que a medida está em estudo e pode ser autorizada este mês. Tomara.

E agora? Será que Fabiana também é uma viúva? Será que o  prefeito vai estumar o Cesar da PC nela de novo como já ameaçou no Twitter? Será que o padre fantasma vai exorciza-la?

Aguardemos os próximos capítulos, agora com divulgação em nível estadual e em um jornal de credibilidade!!!

Compartilhe:

É preciso rolar uma magia primeiro...


Compartilhe:

Prontinha para explodir

Compartilhe:

O Popular denuncia novo escândalo na Assembleia: só a presidência tem 1.261 comissionados. Se todos aparecerem para trabalhar, não há espaço


1.261 cabos eleitorais, um padre fantasma, um orçamento gigante, uma campanha que custou 20 milhões de reais, cargos no Governo do Estado... explica muita coisa.

O jornal O Popular denunciou neste domingo, em manchete, mais um escândalo da série interminável de irregularidades que acabou com a imagem da Assembleia Legislativa: a presidência da Casa, sozinha, dispõe de 1.261 funcionários comissionados, que são nomeados por livre escolha do presidente – atualmente o deputado Helio de Souza.

No total, são 2.564 servidores comissionados. Esse contingente, segundo a reportagem de O Popular, representa o principal abrigo para um fenômeno que virou caso de polícia no Legislativo goiano: a existência de um grande número de fantasmas, ou seja, funcionários que não aparecem na Assembleia, mas recebem seus salários, muitas vezes para dividir com deputados e altos funcionários da Casa.

O Popular registra que, “para se ter ideia da quantidade de comissionados existentes na Assembleia goiana, os 2.564 funcionários existentes por aqui são comparáveis aos 2.769 de São Paulo ou aos 2.363 de Minas Gerais, Estados que possuem, respectivamente, 94 e 77 deputados. Um número muito superior aos 41 parlamentares de Goiás”.

Ouvido por O Popular, o presidente Helio de Souza disse que… é assim mesmo.

Compartilhe:

14 de junho de 2015

Submissão

O editorial de hoje da Folha de São Paulo é um excelente texto para reflexão do atual estado de "furor religioso" que toma conta do Congresso Nacional e promove a intolerância em nosso país, vele muito a leitura:


Submissão

Num futuro não muito distante, a aliança entre grupos políticos moderados e fundamentalistas religiosos obtém expressiva vitória eleitoral. Logo se estabelece, num país de tradições laicas e liberais, o predomínio da repressão, do obscurantismo e do preconceito.

Em "Submissão", polêmico livro de Michel Houellebecq recém-traduzido no Brasil, imagina-se o domínio de certa "Fraternidade Muçulmana" sobre o Estado francês.

O Brasil por certo não é a França retratada nesse romance, e se o fanatismo de alguns grupos traz perigo à sociedade ocidental, não há sinais de sua atividade em São Paulo, no Rio de Janeiro ou em Brasília.

Um espírito crescente de fundamentalismo se manifesta, contudo, em setores da sociedade brasileira –e, como nunca, o Congresso Nacional parece empenhado em refleti-lo, intensificá-lo e instrumentalizá-lo com fins demagógicos e de promoção pessoal.

O ativismo legislativo que se iniciou com a gestão de Eduardo Cunha (PMDB-RJ) na Câmara dos Deputados, e que Renan Calheiros (PMDB-AL) não deixou de seguir no Senado, possui o aspecto louvável de recuperar para o Parlamento um padrão de atuação e de debate por muito tempo sufocado.

Essa aparência de progresso institucional se acompanha, porém, dos mais visíveis sintomas de reacionarismo político, prepotência pessoal e intimidação ideológica.

Tornou-se rotineiro, nos debates do Congresso, que este ou aquele parlamentar invoque razões bíblicas para decisões que cumpre tratar com racionalidade e informação.

Condena-se a união homoafetiva, por exemplo, em nome de preceitos religiosos e de textos –não importa se a Bíblia ou o Corão– que podem muito bem ser obedecidos na esfera privada, mas pouco têm a contribuir para a coexistência entre indivíduos numa sociedade civilizada e plural.

Muitas religiões pregam a submissão da mulher ao homem, abominam o divórcio, estabelecem proibições a determinado tipo de alimento, condenam o consumo do álcool, reprovam o onanismo, legislam sobre o vestuário ou o corte de cabelo.

Nem por isso se pretende, nas sociedades ocidentais, adaptar o Código Penal a esse tipo de prescrições, dos quais muitos exemplos podem ser encontrados no texto bíblico. Sobretudo, não é função do Estado legislar sobre a vida privada.

Ainda assim, num evidente aceno a parcelas crescentes do eleitorado, uma verbiagem religiosa toma conta do Congresso.

Nos tempos de Eduardo Cunha, mais do que nunca a bancada evangélica se associa à bancada da bala para impor um modelo de sociedade mais repressivo, mais intolerante, mais preconceituoso do que tem sido a tradição constitucional brasileira.

O conservadorismo sem dúvida é forte no Brasil; a pena de morte, a redução da maioridade penal, a rejeição ao aborto e à liberação das drogas têm apoio em larga parcela da população –e diante de tais assuntos, naturalmente, cada pessoa tem o direito de se posicionar como lhe parecer melhor.

Mas nossa sociedade também é, felizmente, mais complexa do que pretendem os mais conservadores.

A tradição do sincretismo religioso, da liberalidade sexual, do bom humor, da convivência com pessoas vindas de todos os países e das mais diversas culturas, a prática do respeito, da cortesia e do perdão constituem elementos tão cultivados na identidade brasileira quanto o que possa haver –e indiscutivelmente há– de autoritário e violento em nosso cotidiano.

O debate entre essas forças contraditórias é constante e, a rigor, interminável. Não combina com o açodamento das decisões que, em campos diversos, têm sido tomadas na Câmara dos Deputados.

Seria equivocado criticar seu presidente por ter finalmente posto em votação algo que se arrastava há anos nos labirintos da Casa, como a reforma política. É inegável, entretanto, que Eduardo Cunha atropelou as próprias instâncias institucionais ao impor ideias como a do distritão na pauta de votações.

A toque de caixa, questões intrincadas como a do financiamento às campanhas eleitorais sofreram apreciações seguidas, e nada comprova mais a precipitação do processo do que o fato de que, em cerca de 24 horas, inverteram-se os resultados do plenário.

Uma espécie de furor sacrossanto, para o qual contribui em grande medida o interesse fisiológico de pressionar o Executivo, alastra-se para o Senado. No susto, acaba-se com a reeleição e se altera a duração dos mandatos políticos. O cidadão assiste a tudo sem sentir que foi consultado.

No meio dessa febre decisória, há espaço para que o Legislativo comece a transformar-se numa espécie de picadeiro pseudorreligioso, onde se encenam orações e onde se reprime, com gás pimenta, quem protesta contra leis penais duras e sabidamente ineficazes.

Setores políticos moderados se veem quase compelidos a conciliar-se com a virulência ideológica dos que consideram a defesa dos direitos humanos uma complacência diante do crime; dos que consideram a defesa do Estado laico uma agressão contra a fé; dos que consideram a racionalidade ocidental uma forma de subversão, e as conquistas do iluminismo uma espécie de conspiração diabólica.

Os inquisidores da irmandade evangélica, os demagogos da bala e da tortura avançam sobre a ordem democrática e sobre a cultura liberal do Estado; que, diante deles, não prevaleça a submissão. 
 
Compartilhe: