Pensamentos aleatórios

31 de agosto de 2015

Enquanto isso, em Catalão...

Em cartaz dois grandes sucessos:


Um é sucesso de público, o outro de crítica (negativa), mas ambos estão falados na cidade.

Compartilhe:

27 de agosto de 2015

Sete mentiras que te contam para você amar cegamente seu país

Do blog do Sakamoto:
 
Muito cuidado com lugares-comuns feitos para ajudar a forjar ou fortalecer o “amor à pátria'', mostrando que somos iguais (sic) e filhos e filhas da mesma pátria (sic sic). Aceitar isso de forma acrítica é ignorar que a maioria é tratada como um bando de renegados, sem direito a nada além de gerar riqueza – para outros. Vamos a alguns deles:
 
1) A letra do hino nacional brasileiro não é uma das mais bonitas do mundo, ao contrário do que afirmam correntes que circulam na rede. Até porque é impossível mensurar tal coisa. Mas ainda temos tristes índices de iletramento.
 
 
2) Também é mito que a bandeira nacional (cujo verde não surgiu para representar “nossas matas'', mas sim a casa imperial de Bragança) é considerada uma das mais belas. Mas somos reconhecidos pelas altas taxas de desmatamento.
 
 
3) O povo brasileiro não é, necessariamente, o mais alegre do planeta. Mas é um dos campeões de desigualdade social e de concentração de renda.
 
 
4) A democracia racial, apesar de alardeada como exemplo planetário, não existe e, por isso, não nos define. O que nos explica são séculos de escravismo e suas heranças.
 
 
5) O Brasil não é o país que tem a mulher mais bonita do mundo. Até porque esse país não existe. Mas somos um país reconhecidamente machista.


6) Nossa comida não foi eleita a mais gostosa e saudável. Mas estamos entre os campeões globais de uso de agrotóxicos.
 
 
7) Não está escrito em lugar algum que teremos um futuro grandioso pela frente. E se continuarmos maltratando o meio ambiente em nome do consumismo desenfreado, talvez nem tenhamos um futuro.


O melhor de tudo é que quando levantamos indagações sobre quem somos e ao que servimos e conclamar ao espírito crítico, somos acusados de não amar o país, no melhor estilo “Brasil: ame-o ou deixe-o'' dos tempos de chumbo da ditadura cívico-militar.
 
Pois, para muitos, brasileiro bom é brasileiro que sabe o seu lugar. E aceita de forma bovina.


Orgulho de ser brasileiro. Mas nem sempre.
 
Compartilhe:

26 de agosto de 2015

FIASCO: Prefeitura de Catalão tenta homenagear ex-atleta do CRAC, mas coloca o nome errado na placa

E ainda tem gente que diz que eu sou implicante...

Depois de provar desconhecer sua cidade chamando o morro do Santo Antônio de morro de São Sebastião, passando pela vergonha de chamar a avenida Farid Miguel Safatle de Americano do Brasil e complementando com chamar de Rafis Abrão o parque Kalisto Abrão o debochado digníssimo prefeito de Catalão, Jardel Sebba, cometeu mais uma de sua gafes ao tentar homenagear o ex-atleta do CRAC, Lázaro Domingues, colocando  o nome do campeão goiano de 67 em um "complexo esportivo" localizado no bairro Primavera. Confira a placa e veja a gafe:


Lázaro DOMINGOS?!

Por favor, prefeito, se quer homenagear alguém ao menos escreva o nome correto da pessoa.

É claro que, com certeza, a culpa não é do Jardel, pois o prefeito, competentíssimo e sério, delegou a tarefa de escrever o nome do homenageado a alguém de sua equipe, certamente algum Secretário (vamos colocar na conta do Abadio, porque já se demitiu mesmo), mas é de espantar que ninguém entre os comprometidos comissionados da gestão tucana tenha percebido o erro e deixado inaugurar uma obra que encerraria os festejos do aniversário da cidade com o nome errado do homenageado escrito na placa.

Já pensou se erram o nome do prefeito (Jardel SABBÃO)?!

Existe uma palavra que define bem esse tipo de episódio e, coincidentemente, define essa gestão: FIASCO!

Compartilhe: 

A mídia e sua cobertura nada tendenciosa em duas imagens

A notícia, assim que saiu:




A notícia, logo depois que o Aécio viu:



Essa imprensa "imparcial" é uma coisa...

Compartilhe:

Reportagem da TV Anhanguera sobre os dois corpos carbonizados encontrados na represa do Clube do Povo

Para quem ainda não viu:


Compartilhe:

A evolução do ser humano


Compartilhe:

25 de agosto de 2015

O que os dois corpos carbonizados encontrados na represa dizem sobre Catalão?


Dois corpos carbonizados em uma das regiões mais nobres da cidade (talvez a mais nobre), em um local amplamente frequentado pela população para a prática de lazer, teoricamente vigiado por várias câmeras de segurança presentes em cada residência e pela força policial, que ostensivamente está ali para garantir a segurança dos populares, e, infelizmente, nada disso impediu nossa cidade de entrar no seleto grupo das cidades mais violentas de Goiás.

Tiroteios são frequentes, roubos e furtos nem se fala, novos assassinatos (ou tentativas) quase que semanalmente, corpos abandonados em veículos e esquartejados em parques municipais e agora moradores de rua queimados enquanto dormiam (se é que estavam dormindo, a perícia dirá), algo frequente nos grandes centros, onde a exclusão e a invisibilidade dessas pessoas é muito maior, mas raríssimo no interior do Brasil.

O que acontece com nossa cidade? Males do crescimento? Da individualidade? Consequências negativas, mas normais, do "progresso"? Algo está muito errado...

Esse fato lamentável precisa ser investigado a fundo pela polícia. Assassinato ou acidente? Ainda não é possível saber com certeza, mas, acho eu, que o primeiro instinto de alguém que estivesse pegando fogo perto de um represa seria gritar e correr em direção à água, algo que ninguém ali perto testemunhou a noite passada. Num local em que capivaras são fotografadas de madrugada é muito estranho que ninguém tenha visto ou ouvido nada fora do comum.

O destino de moradores de rua é algo normalmente ignorado pela sociedade, marginalizados em todos os seus direitos até o de sobreviver em paz, mas não podemos ignorar que o número deles em Catalão vem aumentando consideravelmente e também não podemos admitir que dois corpos carbonizados, mendigos ou não, possa ser considerado algo normal, corriqueiro, um "índice bem aceitável" como já disse o prefeito sobre a criminalidade em nossa cidade, pois aí estaremos naturalizando a barbárie e passaremos a achar corriqueiro balas perdidas, grupos de extermínio, serial killers eoutras barbaridades, males do progresso que existem em toda grande cidade.

Compartilhe:

24 de agosto de 2015

O incrível prefeito que derreteu

- Inauguração de obras sem a presença do povo;

- Comissionados sem educação;

- Desfile cívico desprestigiado pela população;

- Secretário de Saúde pedindo demissão;

- 12 milhões de reais em dívidas com os fornecedores locais;

- Incompetência sendo noticiada nos jornais da capital;

- A maior rejeição de todos os tempos (ganha da Dilma);

Apenas alguns fatos da incrível história da gestão que derreteu a ponto de escorrer:


E todo dia tem um fato novo.

Qual será o de amanhã?

Compartilhe:

Uma família em busca de Justiça

Com informações do Portal Catalão:
Acontece hoje, 24 de agosto, às 09:00h, no auditório do Fórum de Catalão, o julgamento de Laerte Pereira da Silva, 70 anos de idade, principal suspeito de ser o assassino do ex-vice prefeito da cidade de Três Ranchos (GO), Lucas Evangelista Pinheiro, que na época do crime tinha 78 anos de idade.

O homicídio aconteceu no dia 10 de Fevereiro de 2014 na Chácara Lagoa, de propriedade de Lucas Evangelista, e de acordo com o Delegado Dr. Vítor Oliveira Magalhães, Laerte cometeu o assassinato porque tinha uma desavença com a vítima no grupo de idosos que frequentavam na cidade onde moravam.

"Eles tinham um grupo de convivência da terceira idade e começaram a se ofender. O Lucas (vítima), era um dos coordenadores e começou a barrar a entrada dele (Laerte) nos eventos e ficaram trocando ameaças. O Laerte contou que se sentia humilhado por não poder frequentar o grupo", contou o delegado na época.

Laerte foi preso no dia 08 de Abril de 2014 na cidade de Nova Ponte (MG), recebeu a liberdade em Dezembro, e irá a julgamento em Júri Popular.

A equipe de jornalismo do Portal Catalão conversou com Joaquim Antônio Evangelista, filho da vítima, que pediu a presença da população na audiência “o crime em todos os lugares está aumentando muito, eu gostaria de pedir a população para que compareça no Fórum de Catalão para juntos pedirmos justiça” disse ele.

Julgamento em Tribunal do Júri: Laerte Pereira da Silva.

Data/horário: Segunda, 24 de Agosto 2015, às 09:00h da manhã.

Local: Auditório do Fórum da Comarca de Catalão, Rua Frederico Campos, 60 (ao lado da Prefeitura Municipal).

 
Compartilhe:

21 de agosto de 2015

Dr. Abadio foi vitima de "fogo amigo"?


Muito tem se especulado sobre os possíveis motivos da demissão do Dr. Abadio da Secretaria Municipal de Saúde, sendo o motivo mais apontado, em especial nas redes sociais e em uma matéria do Portal Catalão, a matéria publicada pelo jornal Dito e Feito, no dia 19/08 (um dia antes da inauguração da UBS no Evelina Nour). 

A matéria, apontada por aqueles que gostam de analisar a política catalana como "fogo amigo" - expressão utilizada militarmente quando algum ataque ou bombardeio atinge as próprias tropas ou as tropas aliadas - foi a justificativa dada pelo próprio Dr. Abadio para explicar seu abandono da pasta, o que de toda forma, segundo ele, ocorreria no final do ano. 

Não se pode negar que a matéria, veiculada por um veículo de comunicação aliado à gestão municipal, possa ter provocado um desgaste na relação entre o (agora) ex-secretário e o prefeito, mas desde dezembro Dr. Abadio suportou calado o fardo de ser apontado como parte da situação calamitosa pela qual passa a Saúde catalana e agora, após sua demissão, vai assumir a pecha de ser o principal culpado pelas mazelas, isentando o prefeito de qualquer responsabilidade como diz a manchete do Dito e Feito?

Para quem não leu, publico na íntegra o texto:
 
A Culpa não é do Jardel

Boa parte da população de Catalão tem reclamado do sistema de saúde de Catalão. E com justa razão. Nos postos de saúde, no Centro de Pediatria e até no Materno Infantil falta materiais básicos. E isso é inadmissível, pois, a prefeitura tem repassado para a secretaria de Saúde mais que os 15% exigidos por lei. Eu disse mais que 15% da arrecadação do município. Portanto, não é falta de dinheiro.

Então qual a explicação para a situação caótica da saúde do município? A explicação, que muita gente não sabe, é que está faltando eficiência na gestão da secretaria de Saúde, comandada hoje por Dr. Abadio. Estranhamente, quando foi convidado por Jardel para assumir o cargo, Abadio fez uma exigência: que sua equipe fosse formada por ele mesmo. Jardel aceitou e disse que só cobraria resultado dessa equipe.

Mais estranho ainda, é que os principais cargos da secretaria de Saúde são ocupados por adversários políticos de Jardel. Pior: eles não entendem nada de saúde pública. Então, está aí a explicação para a profunda deficiência do setor da saúde de Catalão. Por ser o responsável por toda administração pública de Catalão, Jardel poderia demitir o secretário, que não está correspondendo às expectativas, mas talvez pela amizade e a elevada consideração que tem por Dr. Abadio, Jardel fica numa situação incômoda. Nesse caso, melhor seria se Abadio admitisse que não está dando conta do recado e pedisse pra sair. Seria a melhor solução.

Foi fogo amigo? Sem dúvida, mas qualquer ataque, mesmo o "acidental", é ordenado por um comandante e, às vezes, mesmo o fogo amigo não é tão acidental assim, conforme definição do dicionário:

Ataque feito por amigos, colegas ou aliados. Expressão utilizada em guerras quando algum ataque ou bombardeio atinge as próprias tropas ou as tropas aliadas, normalmente por erro de cálculo ou de interpretação. Diz-se, também, de atitudes de traição.


Antônio Paulino, responsável pelo Dito e Feito, não morre de amores por Jardel, mas é aliado de Marconi e precisa fazer o jogo do PSDB em Catalão, o que significa defender o indefensável e mandar os recados (para a oposição e para os aliados) que Jardel não pode enviar diretamente (nem por meio de seus mais próximos asseclas) justamente para evitar maiores desgastes. Daí o motivo do Dito e Feito ter a "exclusividade" de noticiar a rejeição do Secretário de Saúde e lhe dar o tiro de misericórdia sugerindo que a melhor solução seria que Abadio pedisse demissão, assumindo sua incompetência e isentando o prefeito.

Ao atingido Dr. Abadio restam duas opções: resignar-se e deixar queimar o resto de sua reputação como gestor (como fez o Adenilson Lima) assumindo a pecha de incompetente, ou atacar de volta e mostrar à população de Catalão que a manchete do Dito e Feito para ficar correta tem que suprimir o "não" do título.

Compartilhe:

Época publica ‘revelações’ sobre vida sexual da presidente Dilma. Repercussão negativa da grosseria fez com que a revista retirasse o texto do ar.

Originalmente publicado no Pragmatismo Político.
 
 

João Luiz Vieira, um dos editores da revista Época, que pertence ao grupo Globo, publicou uma grosseria que repercutiu mal na internet e na imprensa em geral. 

Em seu artigo “Dilma e o Sexo”, Vieira atribui os problemas da presidente Dilma Rousseff à “falta de erotismo”. A baixaria, que já foi retirada do ar (estava aqui), ainda pode ser lida aqui.

Afinal, o que leva um profissional (Vieira é jornalista há 26 anos) a escrever uma espécie de crônica sobre a vida sexual da presidente da República para tentar explicar a crise política e econômica que atravessa o Brasil?

Para o jornalista Fernando Brito, Época ultrapassou todos os limites da civilidade. “Época, como sub-Veja que sempre foi, apenas colhe os frutos de uma mídia empresarial que perdeu todo o limite de civilidade e bota Jabores, Rodrigos, Reinaldos, Gentilis e outros a rosnar. E outros que, sibilantes, revestem a peçonha em termos e temas pretensamente “cults”. Tornamo-nos a república dos imbecis, dos ofensores, da xingação. Que época!”, afirma Brito.

Alguns internautas se assustaram com a publicação da Época, independentemente de serem ou não eleitores da atual presidente ou de estarem de acordo com o governo vigente. “O que é isso? Até que ponto esses caras se rebaixarão moral e intelectualmente? Tudo bem, eles contam com a simpatias de imbecis piores que eles. Mas senso de ridículo, nunca tiveram nenhum? Ou abrem mão dele agora em razão de seus “objetivos maiores”? Cara, que gente podre”, escreveu Marcos Nunes.

“Isso não é jornalismo, é um esgoto dos mais fétidos. Me senti agredida como mulher. O que virá em seguida? Que presidência é lugar de homem (rico) e que ela deveria ir lavar uma louça ou costurar uma roupa? Estou perplexa”, criticou Ana Maria.


Compartilhe:

Um "mimo" compensa a falta de educação?

Ontem publiquei aqui no blog o desabafo do professor José Renato Faria, da vizinha cidade de Goiandira, que convidado para participar com a Banda Marcial daquela cidade no desfile cívico em homenagem aos 156 anos de Catalão se disse destratado pela coordenadora da solenidade, inclusive com a humilhante oferta de 12 reais para comprar lanche para 36 meninos e meninas, que ensaiaram durante dois meses para participar do desfile e se viram enxotados no momento que seria o ápice de sua apresentação. Reproduzo novamente na íntegra:


Após a publicação do desabafo, por volta de uma da madrugada, José Renato recebeu um pedido de desculpas, pelo mesmo veículo de comunicação, vindo do Tutor de Artes da Secretaria Municipal de Educação, com quem havia combinado o oferecimento de lanche para as crianças da banda:


Eis o que José Renato respondeu:


Como a indignação de José Renato continuava e a repercussão negativa ultrapassava as fronteiras virtuais da rede social, chegando até os programas de rádio, eis que por volta de 13h de hoje, 21 de agosto, a citada coordenadora sem educação envia mensagem para o professor:


Não, leitor do blog, você não leu errado. Mesmo com repercussão negativa, mesmo com indignação crescente por parte do professor ofendido, mesmo com pedido de desculpas de um membro da equipe reconhecendo falhas de comunicação, o que é que a coordenadora sem educação (e sem noção) faz? Pede desculpas? Reconhece suas falhas? Justifica o seu comportamento alegando estresse e pressão? Não! Oferece um "mimo" para José Renato, que respondeu à altura:


Servidores públicos comissionados por vezes são injustamente julgados e difamados, lhes sendo atribuídos todo tipo de carga negativa e pejorativa, mas na maioria dos casos são pessoas honestas, competentes e que se sacrificam para defenderem um projeto político no qual acreditam. Mas em certos casos a arrogância e prepotência acabam por confirmar todos os estereótipos negativos e, por causa de uma única pessoa, todos os demais na mesma situação acabam rotulados.

Neste caso específico, caso não haja um pedido oficial de desculpas, ou mesmo punição da servidora, será a confirmação de que a atual gestão de Catalão (e as pessoas que a fazem) é arrogante, prepotente, não reconhece suas falhas e acha que pode comprar todo mundo com "mimos" quando o mais simples seria demonstrar humildade e respeito.

Compartilhe:

Secretários de Jardel agora terão Retrato Oficial

Todo mês, de agora até julho de 2016, um Secretário da gestão municipal será homenageado com um Retrato Oficial, sendo o primeiro o Secretário de Saúde:


E quem será o próximo?

Compartilhe:

Elias Monteiro coloca o aniversário de Catalão no Video Show

Para quem ainda não viu no Facebook:


Para quem não conhece, Elias Monteiro é locutor na rádio Top FM, apresentador do programa Voz do Cidadão, e assumiu a missão hercúlea de substituir o polêmico Claudio Lima no programa jornalístico diário da rádio, o que vem fazendo com extrema competência, imprimindo um estilo próprio de comunicação, comprovado com esse twitte que colocou o aniversário de nossa cidade em destaque positivo na mídia nacional.


Compartilhe:

20 de agosto de 2015

Professor de Goiandira, convidado para participar com seus alunos do desfile no aniversário da cidade, é destratado por servidora comissionada da Prefeitura

Certamente essa também é culpa do Secretário.

Confira o desabafo do professor José Renato Faria, da vizinha cidade de Goiandira, convidado a trazer seus alunos para participarem do desfile cívico em celebração aos 156 anos de Catalão, publicado hoje no Facebook:


Absurdo, mas esperar que uma gestão que não gosta nem do povo da cidade que administra tenha respeito e consideração pelos convidados das cidades vizinhas é um pouco demais, não?!

Certamente vão dizer que Zé Renato é viúva (mesmo morando em Goiandira e sendo professor concursado) e que o lanche não foi pago aos alunos por causa da crise (só tem dinheiro pra foguete) ou então que tudo é culpa do Secretário e que apenas uma falta de educaçãozinha é um índice bem aceitável.

Compartilhe:

Goiás 24 Horas mais uma vez destaca Catalão: gestão medíocre que acredita que limpar a cidade e tapar buracos pode definir a próxima eleição.

O Goiás 24 Horas, site marconista ao extremo, que manda recado para desafetos e aliados políticos do Governador, manda mais um recado para o abandonado aliado Jardel:


Maioria dos prefeitos goianos não tem política de comunicação e acredita que arroz com feijão (limpar a cidade e tapar buracos) pode definir a próxima eleição
Nunca antes da história de Goiás uma safra de prefeitos se saiu tão mal, do ponto de vista administrativo, como a atual.

É fácil examinar a situação dos municípios goianos e concluir que, sejam grandes, médios ou pequenos, quase todos padecem sob gestões medíocres – de cabo a rabo não há uma única cidade do interior goiano onde foi erigida ou está em andamento uma obra de expressão e significado para a comunidade, por conta das Prefeituras.

Politicamente, o resultado dessa ineficiência geral será a derrota dos atuais prefeitos, seja como candidatos à reeleição, seja apresentando um sucessor, no pleito de 2016.
Mas o pior é que, além da falta de projetos, as prefeituras goianas não têm qualquer política de comunicação e não sabem como chegar aos seus cidadãos, explicar a situação (que financeiramente é difícil para todos) e mostrar as alternativas adotadas e os objetivos pretendidos. Isso, se houver, porque, no geral, não há.

Quase todas as prefeituras dispõem do cargo de secretário de Comunicação (pelo menos as médias e grandes), mas a vaga é desperdiçada em conchavos políticos e preenchida com “comunicadores” improvisados e dominados pelo provincianismo.

O quadro político dos municípios, assim, é desolador. Não há destaques – e a maioria dos prefeitos continua acreditando que limpar a cidade e tapar buracos, funções básicas de qualquer administração, deveria obrigar a população a ter um sentimento de gratidão e votar neles para a reeleição ou nos seus candidatos.

Não é por aí.

Para bom entendedor...

Compartilhe:

O adeus do Dr. Abadio!

Manchete do jornal Dito e Feito, de ontem, 19 de agosto:


Para bom entendedor...

Compartilhe:

18 de agosto de 2015

Cadê o povo?

Observe bem as imagens abaixo:

Inauguração do asfalto no Jardim Paraíso

Inauguração do asfalto no Setor Marconi

O que elas mostram?
Aparentemente duas ocasiões festivas promovidas pela Prefeitura, parte das comemorações do aniversário da cidade, com a inauguração de obras importantes para os bairros da cidade (até corte de fita teve). Um pessoal feliz e confiante: prefeito, primeira dama, filho deputado, vereadores da base, secretários municipais, servidores comissionados da Prefeitura e do Governo do Estado, sindicalistas amigos, jornalistas aliados... a prova definitiva da recuperação da gestão Jardel. O sentimento é um só: enquanto a oposição está no rádio esbravejando, Jardel trabalha e entrega obras na cidade - AVANTE JARDEL!!!

Ok, isso é o esperado que seja visto nas fotos, daí sua insistente replicação nos perfis das redes sociais (verdadeiros ou fakes), mas o mais importante nessas imagens é justamente o que não se vê nelas, nem mesmo procurando com lupa ou muito esforço: o povo!

Cadê o povo? Onde estão os moradores dos bairros Marconi e Jardim Paraíso? Por que eles não foram convidados para a festança? Será mais uma gafe dos produtivos Secretários Municipais, que ocupados demais em puxar saco sair na foto esqueceram de chamar o povo para a festa? Ou será que foi proposital e o povo realmente não foi chamado para participar desse importante momento? Será que não havia ninguém nesses bairros disposto a sair em uma foto com o Prefeito? Ou pior: será que o povo foi convidado e não quis ir? Há uma palavra define bem essas imagens e o esforço de Jardel em recuperar sua popularidade: FIASCO!

Fiasco sim, porque não existe justificativa para esquecer de chamar o povo para participar das solenidades, por mais simples que elas sejam. Fiasco sim, porque o que fica parecendo é que a "festa" não é do povo de Catalão e sim de uma panelinha nada preocupada com a avaliação popular. Fiasco sim, porque o comentário geral é que o povo foi convidado, chamado, convocado, comprado, ameaçado para prestigiar essas inaugurações, mas preferiu ficar dentro de casa ouvindo a entrevista do Adib no rádio.

Avante Jardel, mas sem apoio do povo só vai avançar pro fundo do poço.


Compartilhe:

O silêncio cúmplice aceita a barbárie*






Somente um grande mentecapto suporia que os 800 mil manifestantes do domingo subscreveram mensagens como as retratadas acima (todas garimpadas na internet).

Seria ofensivo vincular o conjunto dos participantes dos protestos a bandeiras como o extermínio sob tortura em campos de concentração, como eram os DOI (Destacamentos de Operações de Informações) da ditadura; à convicção de que rico é imune à corrupção (vide contas secretas na Suíça e pilantragens de empreiteiros); ao lamento por não ter havido genocídio de antagonistas no golpe de Estado de 1964; à defesa de um novo golpe, por meio de “intervenção militar''; e ao abraço em Eduardo Cunha como deputado digno de reverência.

Não subscrevem, é verdade. Mas não se soube de uma só restrição à presença de tais pessoas e à divulgação de tais ideias.

Nem de cidadão que tenha se retirado dos atos públicos ao se deparar com os arautos da intolerância.

A presidente da República foi o alvo central, com justiça ou não, das manifestações. Não é o caso, aqui, de julgar seu governo. Quando jovem, mais jovem do que hoje é a minha filha mais velha, Dilma Rousseff foi presa por agentes do Estado. À margem até da lei da ditadura, foi torturada com choques elétricos, no pau-de-arara, com a crueldade que quem não viveu não é capaz de imaginar.

Cartazes como os de ontem não são novidade nas demonstrações anti-Dilma que se sucedem desde o ano passado. Desta vez, novamente, ninguém confrontou os mensageiros da barbárie.

Quem cala consente, proclama o provérbio.

A gestação do fascismo, do nazismo e do stalinismo foi facilitada pelo silêncio cúmplice.

Não estou dizendo que o Brasil de 2015 se assemelha à Europa dos anos 1920 e 1930.

Mas que, se não podem ser apontados como co-autores das barbaridades de ontem, os manifestantes toparam estar lado a lado com os autores das barbaridades.

Em nome do combate ao adversário político, aceitam perfilar com quem, no conteúdo de alguns cartazes, não difere muito dos cretinos que, no século XX, identificavam-se com a SS.

Se quiserem brigar, não avacalhem a mim, nem me xinguem.

Briguem, avacalhem e xinguem os fatos. Pois é fato que silenciaram diante do ovo da serpente.

E desfilaram com quem preferia que Dilma Rousseff tivesse sido enforcada no DOI a enfrentá-la na democracia.

*Do blog do Mário Magalhães 

Compartilhe: