Pensamentos aleatórios

5 de março de 2018

O Popular: Maioria dos prefeitos do MDB apoia Daniel

Levantamento feito pelo jornal O Popular com os atuais 33 prefeitos do MDB revelou que a maioria (18) defende que o partido tenha candidatura própria na eleição para governador deste ano, ou seja: apoia a pré-candidatura de Daniel Vilela.

Apenas cinco declaram-se a favor do apoio do MDB a Caiado: Adib Elias (Catalão), Fausto Mariano (Turvânia), Ernesto Roller (Formosa), Paulo do Vale (Rio Verde) e Renato de Castro (Goianésia). São poucos, mas há de se considerar que Renato, Paulo, Roller e Adib são quatro dos 6 mais importantes do partido. O sexteto também tem Gustavo Mendanha, que é pró-Daniel, e o silencioso Iris Rezende.

O grupo pró-Daniel questiona o argumento de usar as pesquisas quantitativas como critério para escolha do candidato único de oposição: apesar de Daniel estar atrás de Caiado, a avaliação dos emedebistas “danielistas” é de que os números ainda devem mudar. “Se for para fazer pesquisa, tem que fazer qualitativa. Se fosse pelo quantitativo eu nunca teria sido candidato e ainda assim venci com diferença de 80 mil votos”, afirma Gustavo Mendanha, prefeito de Aparecida.

“Para mim está claro que o candidato é o Daniel, as pesquisas qualitativas indicam que o eleitorado quer a renovação. Pesquisa quantitativa não tem nenhum significado hoje. A imensa maioria do partido está com o Daniel, o perfil dele é para ganhar a eleição, é melhor candidato até que o pai, ele não fica naquela política antiga de ficar discutindo com os outros”, defendeu o presidente da Federação Goiana de Municípios e prefeito de Campos Verdes, Haroldo Naves.

Para Daniel, o número de prefeitos que declararam apoio a ele não é uma surpresa. “Eu sempre procurei representar a vontade da maioria do partido, nunca coloquei projeto pessoal na frente do MDB. Não é só uma vontade minha, se o cenário não fosse esse, eu nem estaria colocando meu nome como pré-candidato”, declarou.


Compartilhe:

4 de março de 2018

Nova diretoria e coordenações da UFG/Regional Catalão são empossadas


Foi empossada na noite desta quarta-feira (28), a nova diretoria e coordenações da Regional Catalão (RC) da Universidade Federal de Goiás (UFG). A cerimônia, presidida pelo reitor da UFG, Edward Madureira Brasil, contou com a presença de servidores, estudantes, autoridades e comunidade externa. A apresentação cultural ficou a cargo da Orquestra de Cordas Dedilhadas da Fundação Espírita Nova Vida (Fenova) e o Hino Nacional foi executado pelo servidor técnico-administrativo, Tércio Rocha, acompanhado no teclado por Samuel Pinheiro. Roselma Lucchese, diretora, e Cláudio Lopes Maia, vice-diretor, juntamente com os demais coordenadores, estarão à frente da instituição pelo período de 2018 a 2021. 

Em seu discurso, Edward ressaltou a importância e o significado do momento, que segundo ele, representa a última posse de um diretor em Catalão. "A próxima posse será em Brasília, na sala de atos do Ministério da Educação (MEC), onde será empossado o novo reitor ou reitora da Universidade Federal de Catalão", afirmou. O projeto de criação da nova universidade, a partir da emancipação da UFG, de autoria da ex-presidente Dilma Rousseff, foi aprovado no Congresso Nacional e deve ser sancionado nos próximos dias pelo presidente Michel Temer. 

Sobre o processo de emancipação, Edward disse que a UFG deverá caminhar junto com a Universidade Federal de Catalão, até a implantação definitiva da nova instituição. Neste período, o MEC deverá nomear uma universidade que atuará como tutora, por um período de dois anos, prestando o suporte necessário durante a transição. O reitor afirmou que pretende trabalhar para que a tutoria esteja a cargo da UFG, respeitando a decisão da comunidade da Regional Catalão.

Falando sobre o atual cenário da educação brasileira, para o reitor, é necessário que a sociedade esteja atenta ao momento delicado vivido pelo ensino superior, que poderá ter graves consequências para o futuro, com o não cumprimento do Plano Nacional de Educação, que prevê a expansão da universidade pública. A construção de uma nação, passa, segundo Edward, pela educação pública de qualidade, com compromisso dos governos, para além do discurso, de promoção da justiça social.

Já a nova diretora, afirmou que sua gestão deverá ser pautada pela interação e pela inserção da universidade na sociedade. Roselma acrescentou que a construção da proposta de gestão, ocorreu de forma coletiva, ouvindo todos os segmentos que compõem a instituição e complementou que a essência do trabalho a ser desenvolvido nos próximos quatro anos será de coletividade, humanização e diálogo, em espaços democráticos e plurais. A diretora agradeceu e parabenizou a equipe que deixou a gestão, reconhecendo as inúmeras conquistas e melhorais obtidas no período.

Citando a equipe que compõe a nova gestão, Roselma mencionou as afinidades de trajetória com o novo-diretor, Cláudio Maia, sobretudo na defesa das populações em risco social. A diretora destacou ainda a importância das coordenações, que serão ocupadas por Fernanda Ferreira Belo (graduação), José Júlio de Cerqueira Pituba (pesquisa e pós-graduação), Neila Coelho de Sousa (extensão e cultura), Heber Martins de Paula (administração e finanças), Moisés Fernandes Lemos (gestão com pessoas e desenvolvimento institucional) e Laurita de Queiroz Bomdespacho (assuntos da comunidade universitária).

O diretor que deixou o cargo, Thiago Jabur Bittar, agradeceu o trabalho e empenho de toda a equipe que esteve com ele e ressaltou a importância não apenas do grupo gestor, mas também de cada um e cada uma que contribuiu e contribui para o funcionamento da Regional Catalão. Thiago lembrou importantes conquistas alcançadas ao longo dos últimos quatro anos e disse que seu tempo como gestor se encerra, com a certeza do aprendizado pessoal e do crescimento da universidade.

Roselma Lucchese possui formação em enfermagem e é professora da UFG desde 2008. Possui produção científica e atuação nas áreas de ciências da saúde e saúde mental, tem experiência de ensino, pesquisa e extensão na área de Ciências da Saúde, subárea Saúde Coletiva, Saúde Mental e Enfermagem. Cláudio Maia possui formação em história e trabalha na UFG desde 1994. Tem experiência na área de História e Direito, com ênfase em História das Sociedades Agrárias, conflitos agrários e questão agrária, atuando principalmente nos seguintes temas: movimentos sociais no campo, teoria da história, movimentos sociais no cerrado, história regional e estado, pluralismo jurídico e direito agrário.

Fonte: ASCOM UFG/Regional Catalão

Compartilhe: