Pensamentos aleatórios

9 de janeiro de 2018

Sem garantia de segurança, Cármem Lúcia desiste de vistoriar presídio em Aparecida de Goiânia


Apesar da declaração do governador Marconi Perillo (PSDB), que rebateu a informação sobre insegurança no presídio de Aparecida de Goiânia, a ministra Cármen Lúcia, do Supremo Tribunal Federal (STF), foi desaconselhada de visitar o local por vários interlocutores.

A ministra veio a Goiânia e se reuniu com autoridades do estado nesta segunda-feira (8), mas não foi ao presídio. No local, ocorreram três rebeliões e nove mortes na semana passada.

A ministra, que também é presidente do CNJ, foi alertada inclusive de que havia explosivos dentro do complexo penitenciário, e que presos teriam armas de fogo e até granadas. Diante das novas informações, Cármen Lúcia pediu uma nova inspeção no local.

A afirmação de Marconi de que a ministra teria absoluta segurança para fazer a visita foi recebida como uma espécie de bravata por auxiliares do STF. Isso porque desembargadores, juízes e integrantes da OAB e do Ministério Público fizeram alertas preocupantes da situação interna do presídio.

À imprensa Marconi declarou que em nenhum momento a ministra Cármen Lúcia pediu para visitar o complexo penitenciário.

Pra quê ela veio então? Pra sair na foto?

Compartilhe:
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários não são moderados, portanto, entram no ar na mesma hora em que são escritos e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. No entanto me reservo o direito de excluir mensagens com ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência. Não há, contudo, moderação ideológica. A ideia é promover o debate mais livre possível, dentro de um patamar mínimo de bom senso e civilidade. Obrigado.