Pensamentos aleatórios

30 de setembro de 2016

Catalão com segurança reforçada para as eleições


Compartilhe:

Cesar da PC: mais um mito que cai?


Até janeiro de 2013 existiam dois mitos muito consistentes em Catalão: o de que Jardel era um bom gestor público e, o segundo, que Cesar da PC era o cara que sabia ganhar as eleições em Catalão. Nos últimos quatro anos a realidade tratou de demolir o primeiro mito e a eleição de domingo pode terminar de ruir com o segundo.

Cesar surgiu politicamente Em Catalão nas eleições de 1996, apoiando a candidatura de Eurípedes Pereira, que foi vitoriosa. Depois, na eleição de 2000, apoiou João Éneas, que não ganhou, mas Cesar acabou eleito vereador. Durante a legislatura, mudou de lado e na eleição seguinte apoiou a candidatura à reeleição de Adib Elias, vencendo também aquele pleito no primeiro confronte direto contra Jardel Sebba. Em 2008 foi um dos coordenadores de campanha de Velomar, novamente contra Jardel, e novamente Cesar venceu. Em 2012 Cesar mudou de lado outra uma vez, se aliou novamente a Jardel, coordenou sua campanha no segundo confronto direto contra Adib Elias e, mais uma vez, venceu. 

Com todo esse retrospecto o mito se consolidou: Cesar era "O" cara, o sujeito que conhecia o eleitorado catalano e sabia o que fazer para vencer qualquer eleição disputada na cidade. Tamanha foi a gratidão de Jardel, após duas derrotas seguidas, que praticamente deu a Cesar as chaves e o comando da Prefeitura. Cesar se tornou o homem forte da gestão Jardel, o SuperSecretário, nada acontecia sem ele saber ou sem sua aprovação. O mito se tornava concreto


Mas aí veio a eleição para deputado estadual...

Nem mesmo Cesar pôde impedir a histórica derrota de Gustavo Sebba em Catalão, que mesmo sendo filho do prefeito, tendo a máquina da Prefeitura trabalhando em seu favor, a maioria dos vereadores pedindo votos, o Governo do Estado apoiando e uma campanha milionária amargou uma votação pífia na cidade

Após 18 anos de invencibilidade, o mito trincou.

E agora, em 2016, o mito do Cesar da PC como "O" cara das eleições catalanas pode ruir de vez, pois nem mesmo com sua experiência conseguiu encontrar a fórmula mágica para reverter a rejeição estratosférica de Jardel. Rejeição, aliás, que é em grande parte culpa do próprio Cesar, afinal sendo o SuperSecretário que acumulava várias pastas e em tudo mandava e de tudo sabia, também é dele a maior responsabilidade pelo fiasco que foi a gestão Jardel. E até mesmo na campanha Cesar está dando provas de falta de feeling eleitoral, pois a composição das chapas proporcionais foi feita com um amadorismo sem tamanho, colocando os 10 vereadores que apoiam Jardel em chapas fracas, com poucos candidatos e sem condição de atingir o quociente eleitoral para reeleger a todos. E a demolição do mito ganhou a marretada definitiva quando jagunços armados invadiram o comitê financeiro do PMDB e as imagens das câmeras de segurança flagraram-no como comandante da injustificável ação.



Se domingo as urnas confirmarem o que as pesquisas de intenção de votos, as rodas de boteco, as filas de banco e a maioria da população vêm falando desde o início do ano, Adib Elias tende a ser eleito prefeito com uma ampla diferença de votos, acabando de vez com o mito do Cesar da PC, que passará para a recente história política de Catalão não mais como um estrategista visionário, mas sim como um oportunista sortudo que sempre soube a hora certa de mudar de lado e que venceu todas as eleições que disputou porque sempre teve muito dinheiro e as condições favoráveis.

Compartilhe:

Enquanto isso, na Avenida Raulina...

Transitando pelo centro da cidade, o eleitor manifesta no adesivo colado em seu carro sua intenção de voto para prefeito e vereador no domingo:


Compartilhe:

Catalão terá reforço na segurança para as eleições

Saiu na coluna Giro, de O Popular, de hoje:


Compartilhe:

Politicagem! Assessor de Marconi apela e fala em lado bom de ataque em Itumbiara





O staff do governador Marconi Perillo (PSDB) já começou a utilizar o ataque contra o candidato a prefeito de Itumbiara, Zé Gomes (PTB) para fazer politicagem. O presidente da Goiás Fomento, Henrique Tibúrcio, foi ao Twitter dizer que se sentia reconfortado ao saber “que o vice-governador pôde ser transferido para um hospital público estadual”.

Internautas se revoltaram com a declaração. Nesta semana, por exemplo, uma idosa morreu na Vila Redenção. Não teve nenhum helicóptero disponível para leva-la para receber atendimento. Não havia policial na rua para defende-la. Um caos total.

O ataque à comitiva do candidato Zé Gomes (PTB) acabou na morte do petebista e do cabo da Polícia Militar (PM), Vanilson Rodrigues. O vice-governador foi encaminhado ao Hospital de Urgência Governador Otávio Lage. O radialista Célio Rezende também foi ferido e recebe atendimentos na unidade. O atirador, identificado como Gilberto Ferreira Amaral, também morreu.


Fonte: Goiás Real

Compartilhe:

29 de setembro de 2016

Programas eleitorais de Jardel Sebba

Jardel Sebba - Programas eleitorais 9, 10, 11 e 12:





Compartilhe:

Catalão ainda mais segura?

Na propagada eleitoral na TV há uma pílula, aquelas chamadinhas de 30 segundos, em que o candidato Jardel Sebba apresenta algumas propostas para a Segurança e pede o voto dos cidadãos para fazer de Catalão uma cidade "ainda mais segura".

Estranhei bastante, pois não sinto Catalão como uma cidade segura ultimamente, ainda mais com as recentes ocorrências de assassinatos e assaltos em plena luz do dia e no centro da cidade, algo impensável de ocorrer há poucos anos atrás.

Por isso mesmo, para saber se Catalão está realmente "mais segura" como diz a propaganda do prefeito, consultei os dados oficiais de registros criminais em Catalão nos anos de 2012, último ano da gestão Velomar (PMDB), e 2016, no período de janeiro a agosto de cada ano, haja vista que os registros das ocorrências são disponibilizado apenas no final do mês. Os dados estão disponíveis no site da Secretaria de Segurança Pública de Goiás, podendo ser consultados a qualquer momento:


Não sei não, mas acho que o pessoal do marketing do prefeito não fez o dever de casa. 

Quase todos os índices subiram na comparação direta no mesmo período, com destaque para o furto de veículos, que quase triplicou, roubos (em que há abordagem da vítima, com ou sem violência), com aumentou cinco vezes, e homicídios, de 2 registrados de janeiro a agosto de 2012 (esse sim um índice bem aceitável), para 28 no mesmo período em 2016, um crescimento de 2000%. 

É claro que alguns vão dizer que este é um fenômeno normal, que Catalão é uma das vítimas do fenômeno do espalhamento da violência no país iniciado nessa primeira década do século XXI, ocasionado pela melhora no combate ao crime nos grandes centros, como Rio de Janeiro, São Paulo e Pernambuco, e aí a violência migra para outras regiões e nossa cidade, por estar num entroncamento geográfico, recebe esse fenômeno de forma mais forte. Pode até ser verdade, mas como o prefeito é "parceiro" do Governador seria de se esperar maior atenção por parte do Governo de Goiás para com Catalão, mas o que sentimos é um total abandono, não muito diferente das demais regiões de Goiás, que aumentou a taxa de homicídios em 70% em apenas uma década, cabendo novamente o questionamento: de que vale ter um prefeito parceiro do Governador se ele não traz nada para Catalão?

Diante disso, eu tenho uma certeza: em Catalão, no caso de Segurança Pública e violência, se depender do Jardel os cidadãos não vão andar pra frente não... a não ser que seja pra frente da cova!!!

Compartilhe:

Em tempos de violência, o que seu candidato a prefeito propõe para a Segurança Pública?


 
Em recente enquete veiculada pelo Portal Catalão 55% dos participantes responderam que o maior problema de Catalão atualmente é a Segurança Pública, o que é bem verdade, como as recentes ocorrências policiais confirmam, o que gera uma sensação de insegurança geral em nossa sociedade.

Esse, sem dúvida, é um tema que deveria pautar a eleição municipal deste ano, ainda mais depois dos recentes atentados políticos (espancamento do Cláudio Lima, tiros no gabinete do Prefeito, ônibus do PMDB incendiado, invasão do comitê financeiro do PMDB, etc), mas como o debate eleitoral foi direcionado para a falta de água o tema Segurança foi para escanteio, o que é bem conveniente para o atual prefeito, pois desvia o foco e o cidadão pode não perceber que nos últimos quatro anos todos os índices de criminalidade subiram em Catalão, bem no momento em que há uma gestão “parceira” do Governo de Goiás na Prefeitura, o que não adiantou nada, pois não houve aumento do efetivo policial na cidade nem investimento em melhorias reais das condições de trabalho das polícias civil e militar.

É verdade que Segurança Pública é uma atribuição do governo estadual e não das prefeituras, mas estudos recentes demonstram que as iniciativas capazes de viabilizar uma redução duradoura tanto das taxas de crime como do sentimento de insegurança demandam, além de investimento nas/das polícias, envolvimento direto do executivo estadual e municipal na execução das políticas de prevenção e repressão ao crime.

Em época de eleição os candidatos fazem todo tipo de proposta para ganhar o voto, até mesmo propostas irresponsáveis e mirabolantes, como criar Guarda Civil, por exemplo, mas existem medidas simples e factíveis que o prefeito pode tomar para ajudar o Estado na Segurança Pública. Apresento a seguir algumas sugestões sobre esse tema para que o eleitor catalano analise e veja se o seu candidato a prefeito contempla alguma delas:

Central de monitoramento – reativar a central de câmeras de monitoramento e, através de convênio, deixa-la sob operação da PM, de modo que o monitoramento seja feito por profissionais capacitados a reconhecer e identificar ocorrências criminosas proporcionando rápida resposta, auxiliando na prevenção, elucidação e diminuição das ocorrências. Tal central funciona hoje sob supervisão da SMTC, que não possui a competência para reconhecer atividades criminosas. A partir do convênio com a PM a central possuirá utilidade e funcionamento real, mas a empresa responsável tem que ser paga em dia, senão fica do mesmo jeito que está aí;

Ampliar a vigilância e conservação de praças e outros prédios públicos municipais – um parque ou praça mal conservados e/ou sem vigilância pode transformar um espaço de lazer em uma ameaça à comunidade circunvizinha, além disso a presença física do vigilante aumenta a sensação de segurança do cidadão que passa pela via pública e se sente protegido com a presença de tal profissional, que orienta a sua ação tanto em termos de prevenção de crimes ao patrimônio quanto no que diz respeito à repressão de atos de vandalismo e de violências nas escolas, por exemplo;

Investimento em iluminação pública – pode parecer óbvio, mas iluminação pública também contribui bastante para dar a sensação de segurança, pois lugares bem iluminados são hostis para criminosos. Em recente reportagem da TV Anhanguera foi mostrado que o aumento de ocorrências criminosas em torno do câmpus da UFG se dava, principalmente, devido a ausência de iluminação nos postes, portanto iluminar a cidade será um trabalho contínuo;

Convênio com clínicas terapêuticas de recuperação de dependentes químicos – a dependência química é uma das principais causas de crimes em nossa cidade e não podemos esperar a boa vontade do Governo de Goiás em trazer um Credeq para Catalão. Portanto, fazer convênio com as diversas clínicas de recuperação em operação em nossa cidade, que estejam em conformidade com as exigências do Ministério da Saúde, é o passo inicial para resgatar vidas destruídas pela droga, garantindo tratamento humanitário a essas pessoas. Junto com o tratamento terapêutico será desenvolvido um programa de empregabilidade para posterior encaminhamento do dependente recuperado ao mercado de trabalho, possibilitando inclusão social e recuperação da autoestima;

Outras medidas: construção de albergues municipais para moradores de rua (funcionando em convênio com entidades e clubes de serviço) retirando das ruas, ou do ginásio internacional, as pessoas nesta condição; recuperação de áreas degradadas (casas abandonadas) que servem de abrigo a drogados e marginais; isolamento da área ginásio internacional (em caso de não reforma pelo Governo de Goiás), impedindo o uso daquele local por drogados e marginais.

Por fim, mas não menos importante, a prefeitura pode contribuir para o desenvolvimento de políticas de prevenção ao crime que tenham como público alvo as crianças e os adolescentes. Neste ponto, destacam-se as iniciativas que visam (1) o entendimento dos condicionantes da violência nas escolas, para a elaboração de ações que visem a sua redução; (2) a operacionalização de programas de profissionalização e lazer, que tenham como objetivo ocupar os jovens no período extraclasse evitando, dessa forma, o seu envolvimento com atividades ilícitas; (3) a manutenção e supervisão de programas direcionados aos menores infratores que receberam medidas socioeducativas de liberdade assistida e de prestação de serviços à comunidade, de maneira a diminuir a probabilidade de eles cometerem um novo crime quando do fim da execução dessas medidas.

Compartilhe:

Eleições 2016: o que pode e não pode a partir de hoje


Compartilhe:

Faroeste goiano em Itumbiara... mas poderia ter sido aqui em Catalão (ou ainda pode ser)


O chocante assassinato de José Gomes, em Itumbiara, é uma tragédia sem tamanho, mas pode servir para acender a luz de alerta que as autoridades goianas precisam ver para evitar que a disputa eleitoral em Goiás se torne um banho de sangue e violência, em especial aqui em Catalão.

Em Catalão o radialista Cláudio Lima, hoje candidato a vereador, foi brutalmente espancado e as razões até hoje não foram esclarecidas. Depois disso o gabinete do prefeito Jardel Sebba foi alvejado por tiros e mais uma vez ninguém foi identificado ou preso. Alguns dias depois o ônibus que transportava trabalhadores para a campanha do PMDB foi incendiado, em pleno centro da cidade, e outra vez ninguém foi responsabilizado. No decorrer da campanha vários veículos foram danificados, simplesmente por estarem com adesivos de algum candidato. E agora, há menos de 15 dias atrás, o escritório financeiro da candidatura de Adib Elias foi invadido por uma horda de brucutus, sob comando do SuperSecretário da SAE/Governo/Seinfra, Cesar da PC, que mesmo com toda ação  filmada e divulgada na imprensa estadual (diferente das outras ocorrências relatadas acima, em que a identificação dos autores não foi possível) até o momento a Polícia ou a Justiça se pronunciaram sobre o ocorrido e ninguém foi punido.
 

Nessa situação devemos nos perguntar: ontem foi em Itumbiara, hoje ou amanhã será em Catalão que teremos um candidato a prefeito assassinado?

Se as autoridades continuarem se omitindo é isso que vai acontecer...

Compartilhe:

28 de setembro de 2016

Jardel vai renunciar?

Confira o vídeo abaixo:


ATENÇÃO: Jardel diz que renuncia a sua candidatura se for provado que a água da barragem (que ainda não está pronta, diga-se) não está abastecendo Catalão há mais de 40 dias. Acrescenta que o eleitor conhece sua seriedade, que o ele promete ele cumpre, e que o desafio está lançado!

Beleza...

Convém analisarmos algumas coisas:

  • O Jardel que promete a renúncia agora é o mesmo que prometeu coletivo a 1 real e não cumpriu?
  • Esse Jardel do desafio é o mesmo que prometeu construir 2400 casas em quatro anos e não construiu nenhuma?
  • Esse Jardel sério é o mesmo que prometeu reformar o Ginásio Internacional e não cumpriu? 
  • Esse Jardel de olhos vidrados e penetrantes é o mesmo que prometeu Credeq e não construiu?
  • Esse desafiador Jardel é o mesmo que prometeu o melhor governo da vida dos catalanos e não cumpriu?
  • O Jardel de agora é o mesmo que prometeu renunciar caso a manifestação contra sua gestão juntasse mais de 1000 pessoas e não cumpriu?

Se for o mesmo cara, então me desculpem, mas esse desafio é só mais um blefe, tal qual as promessas não cumpridas há quatro anos atrás. E ele não vai renunciar nem se a barragem secar, porque o que Jardel sabe fazer melhor (do que debochar do cidadão) é prometer e não cumprir!!!


Se bem que ele não colocou uma data, então é bem capaz de renunciar no dia 31 de dezembro...
 
Compartilhe:

Enquanto isso, em Catalão...

Um xingamento em particular ofende muito quem o recebe:


Compartilhe:

Governo de Goiás vai construir 2.439 casas populares e nenhuma delas é em Catalão, sabe porquê? Falta de terreno!

Recentemente a Agência Goiana de Habitação (Agehab) anunciou a assinatura de convênio com 11 municípios goianos (para a construção de 2.439 moradias populares de interesse social, endereçadas à famílias com renda até três salários mínimos.

Rodada de parcerias da Agehab (clique para aumentar)

Os critérios adotados pela Agehab para assinatura de convênio são o déficit habitacional do município e a parceria com as prefeituras, que cedem os terrenos regularizados e com a infraestrutura inicial necessária para as construções (água, esgoto e iluminação pública), sendo que o segundo ponto, encontrar terrenos adequados, é o que mais impede a assinatura de convênios com mais prefeituras. E é justamente esse segundo critério que chama a atenção para a ausência de Catalão nessa rodada de contratação da Agehab: Catalão teria terrenos de sobra para construir mais de 1000 casas. 

Só através do Lote Legal a prefeitura doou 800 lotes, mais de uma centena foram vendidos para custear o Cheque Reforma Municipal, ou seja, Catalão tinha os terrenos necessários para assinar o convênio com a Agehab a construção de pelo menos 800 moradias populares, mas optou por não fazê-lo... por quê?

Em tempo de eleição para prefeito, em que os candidatos expõem seus projetos para moradia e diminuição do déficit habitacional, convém pensar qual a motivação para um candidato não propor a construção de nenhuma casa sequer, mesmo quando existe a parceria para fazê-lo, e quem é que está ganhando com essa doação e venda de lotes, pois se o povo não está ganhando alguém está, e muito!!!

Compartilhe:

27 de setembro de 2016

O que é que vai dar a eleição para vereador?

Segundo a última rodada da pesquisa Serpes, divulgada no dia 10 de setembro, grande parte do eleitorado catalano aprova a atual legislatura da Câmara Municipal e tende a reeleger a maioria dos edis. Essa situação não é nenhuma novidade, haja vista que historicamente 70% dos vereadores que disputam a eleição são reeleitos, quando isso não ocorre é muito mais por uma coligação mal feita do que pelo desgaste sofrido no mandato.

Por isso mesmo chamou-me a atenção a composição das chapas proporcionais da coligação de Jardel Sebba, em que os atuais 10 vereadores que lhe dão sustentação foram todos para a reeleição, mas em duas chapas extremamente difíceis e pouco competitivas, haja vista a pequena quantidade de candidatos em cada uma, o que deve prejudicar atingirem o quociente eleitoral. Para um bom entendedor existe algo claro: dos atuais 10 vereadores que apoiam Jardel apenas 6 conseguirão ser reeleitos, o que já garante uma boa taxa de renovação na Câmara, mesmo não sendo a intenção do eleitorado.

E ainda existem mais cinco chapas disputando a eleição: PSOL, com 3 candidatos; DEM e PRP, com 32 candidatos; PROS, PV, PDT e PC do B, com 34 candidatos; PSDC, PPL, PTC e PSC, com 30 candidatos; e PMDB, PTB e SD (Solidariedade), com 32 candidatos.

De imediato a chapa do PSOL é a mais improvável de conseguir uma vaga na Câmara, pois possui apenas três candidatos e cada um teria que obter mais de 1000 votos para juntos atingirem o quociente e fazer um vereador, algo bastante difícil considerando as últimas eleições municipais, em que os candidatos a vereador fora das duas grandes coligações não atingiram a votação de seu candidato a prefeito.

O mais provável é que as chapas de Adib, justamente por ter mais candidatos, façam a maioria dos vereadores. Nesse caso a chapa DEM e PRP poderia fazer duas vagas, pois tem um puxador de votos, que é o vereador Paulinho (partindo do pressuposto de que a maioria dos edis terá boa votação e tende a ser reeleita) e mais quatro nomes bem cotados: Cris Hot Hot, Marciel "Tudo Caipira", Maciel Batalha e Marcão da Coruja. A chapa possui mais 28 nomes, o que facilita atingirem o quociente (mais ou menos 3200 votos), portanto fazer duas vagas não é uma tarefa muito difícil.

A chapa PROS, PV, PDT e PC do B também caminha com tranquilidade para fazer dois nomes, pois possui Jair Humberto, que já foi vereador, e Silvinha, que obtiveram mais de 900 votos cada um nas últimas eleições disputadas. Além desses dois nomes existem os blogueiros Badiinho e Luis Cláudio (Blog da Verdade) que, embora disputem sua primeira eleição, são jovens e ampla presença nas redes sociais com muitos seguidores. Essa chapa também traz o PC do B, que sempre obtém boa votação nas eleições municipais, com destaque para Baloia e Patrícia. Além desses candidatos a chapa possui ainda mais 29  nomes que precisariam ter, individualmente, algo em torno de 50 votos para atingir o quociente. Nada improvável de ocorrer.

PSDC, PPL, PTC e PSC tem 30 candidatos e os que se destacam são Lazinho, que já foi vereador por dois mandatos, e Cleuber Vaz, que na última eleição teve mais de 500 votos.

Já a chapa PMDB e SD poderia se considerar a menina feia da coligação, afinal possui seis vereadores, que para serem reeleitos precisariam atingir 19 mil votos (na última eleição obtiveram 17 mil), ou seja, alguém inevitavelmente ficaria de fora, mas essa chapa possui dois nomes muito importantes e que podem desequilibrar: Cláudio Lima e Rodrigão. Especula-se que ambos possam ser os dois grandes puxadores de votos desta eleição, o que pode levar a coligação a atingir um grande quociente e fazer mais algumas vagas, especialmente no quociente partidário e na "sobra".

Como funciona isso? Acompanhe o infográfico abaixo:


Daí a importância desses dois para essa chapa. Caso cumpram a expectativa de ser os dois puxadores de voto desta eleição, Cláudio Lima e Rodrigão podem desequilibrar a disputa e ser o fiel da balança na definição de qual chapa fará a maioria dos vereadores. E a expectativa deve ser real sim, pois Cláudio vem sendo atacado desde que se ventilou que seria candidato, culminando na sua agressão, e Rodrigão começou a sofrer os mesmos ataques difamatórios que sofreu na eleição para deputado, ou seja, se não representassem uma ameaça para quê seriam atacados?

De toda forma é fato que o voto para vereador não é um voto racional, se fosse o Paulinho teria a maior votação de todas, pois foi o único vereador eleito com o atual prefeito que rompeu com ele por não aceitar cabresto e honrar os seus verdadeiros patrões (o povo), mas é claro que alguns irão sair, mais ou menos quatro, a própria montagem das coligações se encarregará disso, a questão é: quem sairá?

Dia 2 de outubro saberemos...

Compartilhe:

O candidato do Papa (2)

Francisco se manifesta sobre o uso de sua imagem:


Compartilhe:

O tempo está passando...


Compartilhe:

26 de setembro de 2016

O candidato do Papa

Quando você pensa que já viu de tudo, a política catalana vem e te surpreende:


Compartilhe:

Programas Eleitorais de Adib Elias

Dando sequencia a série de publicações dos programas eleitorais dos candidatos a prefeito, seguem os programas do Adib, dos quais eu destaco o de número 16,  sobre Saúde, e apresenta uma biografia do candidato a vice-prefeito, João Sebba.

Programa Eleitoral 13:


Programa Eleitoral 14:


Programa Eleitoral 15:


Programa Eleitoral 16:


Em breve trago os novos programas da Camila e os outros do Adib, os do Jardel só se voltarem a circular na web, pois sumiram.
 
Compartilhe:

24 de setembro de 2016

Já votou na Liz Maia hoje?

 
A catalana Liz Maia, de 21 anos, é uma das finalistas no concurso Novos Talentos da Música Sertaneja, da TV Anhanguera. O gosto pela arte está, literalmente, no sangue: praticamente toda a família da jovem, que vive em Catalão, gosta ou tem alguma relação com música.


A primeira influência foi da mãe, Marilda Costa, que já foi vocalista de uma banda e levava a filha, ainda pequena, para os shows. Quando criança, fazia pequenas participações e, anos depois, também cantou no mesmo grupo.

Liz e sua mãe, Marilda Costa

O irmão, Michel Costa, trabalha no comércio, mas também nutre o sonho de cantar. Ele acompanha de perto a chance de Liz.

Outro que também incentiva a jovem é o avô, Aurismar Costa, de 82 anos, que adora fazer um dueto com a neta. Na casa dele, estão expostos troféus que Liz ganhou em concursos de música.

Encontro com o pai
 
Liz só conheceu o pai no ano passado, quando tinha 20 anos, na porta de uma creche. Desde então, Davi Ribeiro Vaz se tornou presença marcante na vida da filha. Inclusive, é a apoia bastante no sonho de viver de música. "Perguntei o que ela fazia e ela disse: ‘Eu canto’. Então vamos fazer o seguinte, vamos aperfeiçoar nessa fôrma aí. Se canta, vamos cantar".

Liz, seu pai, Davi Ribeiro, e o empresário Gleidson Nunes

Clique aqui para ajudar a Liz Maia a vencer o concurso.

Compartilhe:

23 de setembro de 2016

Oba! Hoje tem comício do Jardel!!!


É hoje! Compareça! Não perca essa incrível oportunidade para ouvir do prefeito:

  • Que a barragem já está abastecendo Catalão há 30 dias e não vai faltar água este ano (a não ser que acabe a energia, não chova, as tubulações fiquem entupidas, caia um raio ou o tempo mude de uma hora pra outra);
  • Quando, de verdade, começam os 30 anos sem água; 
  • Se ele ainda quer vender a SAE;
  • Quando começa (de novo) a reforma do Ginásio Internacional;
  • Se o aeroporto vai funcionar algum dia; 
  • Porque ele quebrou o comércio local;
  • O que ele acha dos hotéis catalanos;
  • Quantas empresas vieram para Catalão nos últimos três anos e meio;
  • Quando será inaugurado o segundo restaurante comunitário, no bairro São João;
  • Quando começa a duplicação da rodovia de Catalão a Goiânia;
  • Quando o CREDEQ vai funcionar;
  • Como é fazer 100 km lineares de asfalto todo ano e mesmo assim as ruas continuarem esburacadas;
  • Onde estão as 1600 casas prometidas do Evelina Nour III;
  • Cadê as lixeiras MecLix; 
  • Cadê o coletivo de R$ 1,00;
  • Porque quem tem carro paga para os motociclistas usarem a Área Azul;
  • Quando vai pagar os 4 milhões da Samma;
  • Quando vai pagar os 6 milhões da Corpus;
  • Em quantas parcelas ele dividiu a dívida de 9 milhões com a CELG; 
  • Como ele vai pagar os 76 milhões de reais emprestados até o final deste ano; 
  • Onde gastou 1 bilhão e meio de reais arrecadados nos últimos três anos e nove meses;
  • Se já descobriram quem colocou fogo na SAE;
  • Se a Força-Tarefa da Pedrada chegou a alguma conclusão;
  • Se já descobriam quem deu os tiros no seu gabinete;
  • porque ele apelou com o repórter que perguntou se os tiros poderiam ser armação;
  • Como ele vai criar Guarda Municipal se não conseguiu manter 34 câmeras de monitoramento funcionando; 
  • Se o Cesar da PC vai mesmo ser o comandante da Guarda Civil Tucana;
  • Se 30 homicídios em nove meses é um índice bem aceitável;
  • Porque até hoje ele chama todo mundo que o critica de viúva;
  • Porque ele odeia a Santa Casa;
  • Onde está o Tomógrafo do Materno Infantil
  • Como é chegar ao último ano do mandato com 76% de rejeição;
  • Porque dirija se escreve com "G" e não com "J";
  • Como foi colocar botox para gravar o programa político;  
  • O que o Tampa acrescentou na campanha, além de peso;
  • Se ele vai para o Rio de Janeiro depois da eleição;
  • Se ele acha mesmo que os cidadãos de Catalão são tão trouxas a ponto de votar nele de novo por causa da maquiagem eleitoreira que a Prefeitura está fazendo nos últimos dois meses.

Compareça e comprove que o deboche e o cinismo realmente não têm fim!!!

Compartilhe:

O naufrágio do Tucanic


Será que esse também vai virar filme?

Compartilhe:

22 de setembro de 2016

21 de setembro de 2016

Tempo de queimadas...


Compartilhe:

Vale a pena vender ideias e opiniões por um emprego comissionado?

Essa eu vi no Blog do Mamede e, por concordar em tudo, compartilho aqui no blog:


Eu não entendo...

Gente boa do BLOG eu sinceramente não entendo alguns fatos na política catalana, por exemplo, o cidadão fica três anos e sete meses trabalhando na Prefeitura de Catalão em cargo em comissão, recebendo mais de 5 mil reais por mês, na campanha eleitoral de quatro anos atrás, ele cantou e admirou o candidato Jardel Sebba em verso e prosa e evidentemente desceu o malho em Adib Elias que era em suas palavras o maior ladrão da cidade, grosso, sem educação e por aí vai.

Pois bem há exatos dois meses, ou um mês da eleição ele adere a candidatura de Adib Elias, deixa o cargo comissionado e começa a defender a candidatura de Adib como se fosse a salvação de todos os males.

Aí você fica imaginando, como ficarão aqueles adibistas de uma vida inteira com essa situação? Aqueles que de fato enxergam as qualidades de Adib estando ou não no poder.

Será que Adib irá reconduzir o cara para o cargo que ocupava, ou lhe colocará em outro lugar para não dar tanto na cara, será?

Outro pergunta, terá tantos cargos assim para empregar quem quiser vir?

É mesmo de doer o coco, ver como tem gente que adere nos últimos momentos e ainda tem coragem de arrumar tantos argumentos que contradizem totalmente o que diziam quatro anos atrás.

Para encerrar, será que vale a pena vender ideias e opiniões assim por um emprego comissionado?

Tem gente que tem valor, outras têm preço...
 
Compartilhe:

Enquanto isso, no trânsito...


Compartilhe:

20 de setembro de 2016

O Diário da Manhã arregando? Em levantamento dos prefeitáveis favoritos à eleição, jornal "esquece" Catalão

Saiu no Diário da Manhã de ontem:


E daí?!

Daí que chama demais a atenção que um veículo de comunicação de postura aliada ao Governo de Goiás não inclua a cidade de Catalão entre os municípios analisados, já que o prefeito daqui, candidato à reeleição, é um dos principais aliados do governador.

É claro que existe a hipótese de o Diário da Manhã não considerar Catalão uma das mais importantes cidades goianas, o que é estranho, haja vista que duas pesquisas sobre a intenção de votos dos catalanos foram publicadas exclusivamente pelo DM em um intervalo de pouco mais de 15 dias, o que aparentemente foi esquecido pelo jornal, que, no entanto, se lembrou de Ipameri, Itaberaí, Jaraguá e Posse. municípios menores e economicamente menos importantes que Catalão.

Será que foi mesmo esquecimento ou o DM está se preservando de fazer qualquer análise irreal que pode ser destruída pelo resultados das urnas?

É... se até o Diário da Manhã tá arregando quem será o próximo a abandonar o Tucanic?

Compartilhe: